A porção oeste do estado do Pará banhada pela bacia do rio Tapajós é uma das regiões mais preservadas do Brasil. Mas enquanto a população local e os povos tradicionais enxergam a floresta em pé como uma solução de sustentabilidade e riqueza, grandes empresas e grupos internacionais vêem somente uma oportunidade de alcançar grandes lucros. Por isso, grandes empresas, com o total apoio do Estado brasileiro, projetam construir um conjunto de hidrelétricas na bacia do rio Tapajós, que poderão inundar uma superfície semelhante à ocupada pela cidade de São Paulo. No Complexo Tapajós está prevista a construção da UHE Cachoeira do Caí (802 MW), UHE Jamanxim (881 MW), UHE Cachoeira dos Patos (528 MW), UHE Chacorão (3.336 MW), UHE Jardim de Ouro (227 MW), UHE Jatobá (2.338 MW) e UHE São Luiz do Tapajós (3.369 MW).

Notícias

A audiência seria parte do processo de concessão das Florestas Nacionais (Flonas) Itaituba 1 e 2, a primeira vizinha e a segunda integralmente sobreposta à Terra Indígena Sawre Muybu. Sob ameaça...

Cerca de 400 famílias organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) ocupam área urbana no município de Itaituba (Pará) com a pauta da moradia. A área ocupada fica a 5 km do centro da...

Complexo Tapajós