Região Centro Oeste

Três mil camponeses e camponesas ocupam, em Goiânia, desde as 6 horas da manhã de hoje (16), os prédios da Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás e da Superintendência Federal da Agricultura.

 

Por volta das 13 horas desta quarta-feira (14), o juiz de Di Cavalcanti, município de Goiás, determinou a reintegração de posse da entrada principal da Usina Hidrelétrica de Cana Brava, ocupada desde a madrugada de domingo (11) por cerca de 500 famílias organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Cerca de 400 famílias atingidas por barragens ocupam, desde a manhã de domingo (11), o portão de entrada da Usina Hidrelétrica de Cana Brava, em Goiás. As famílias cobram da empresa francesa Suez-Tractebel, concessionária da usina, o pagamento do passivo aos atingidos pela obra.

Nesta quarta-feira (07), diversas organizações sociais, sindicais, eclesiais e parlamentares se reuniram para o ato-político de lançamento do Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que aconteceu na sede da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília.

Na próxima quarta-feira (07), às 18 horas, será realizado um ato-político de lançamento do Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) na sede da CNBB.

Nesta manhã (11), os atingidos pela barragem de Serra da Mesa, em Goiás, voltaram às ruas do centro da cidade de Uruaçu para cobrar das autoridades públicas municipais, estaduais e federais melhores condições de vida para a população. As manifestações reforçam os protestos em todo o Brasil puxados pelas Centrais Sindicais e Movimentos Sociais do campo e cidade.

Foram três dias de caminhada e 60 quilômetros percorridos pela BR 163, rodovia que liga a cidade de Anhaduí à capital sul matogrossense.  A Marcha dos Povos da Terra chegou ao final com ato realizado nesta sexta-feira (07) no centro de Campo Grande.

Camponeses do município de Catalão (GO) atingidos pela Usina Hidrelétrica Serra do Facão começaram a implantar experiências de produção de alimentos saudáveis em suas propriedades utilizando o programa Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS).

Fonte: Luiz Felipe Albuquerque

Da Página do MST