Região Centro Oeste

Após as ações dos atingidos por barragens em diversas estatais nesta manhã (13/03), o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, vai receber uma comissão de representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) para uma audiência, no Palácio do Planalto. A audiência será as 16 horas.

Centenas de atingidos por barragens de vários estados brasileiros protestam em frente à sede da Eletronorte em Brasília na manhã desta terça-feira (13). A ação faz parte da Jornada Nacional de Lutas do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que acontece em todo o Brasil.

No Nordeste serão construídas 267 cisternas, em comunidades na região do Vale do São Francisco (Pernambuco e Bahia), com 122 cisternas, e no Ceará, com 145 cisternas, distribuídas nas regiões do Maciço de Baturité e do complexo Castanhão.

Dentre os vícios no EIA/RIMA estão omissões na delimitação das áreas de influência do empreendimento; falta de definição dos métodos de transposição de espécies ameaçadas de extinção em virtude a obra; além de falhas em relação às alterações do regime hidrológico do rio Teles Pires.

Manifestação, ocorrida na quarta-feira passada (27) foi duramente reprimida pela polícia. Privatização pode trazer aumento nas tarifas e demissões no setor.

O professor de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Arsênio Oswaldo Sevá Filho, especialista em energias e combustíveis, disse nesta quarta-feira (13), em palestra na reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Goiânia, que não existe fonte de energia renovável.

Música, dança e mística marcaram a programação de abertura da Festa, Feira e Seminário sobre Biodiversidade e Sementes Crioulas, que ocorreu hoje (7), pela manhã. Quase mil pessoas, entre camponeses, professores, estudantes e comunidade em geral, lotaram o auditório da Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão, para acompanhar a celebração de início das atividades.

Atividade ocorre de 7 a 10 de julho, na Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão, e deve reunir mais de cinco mil pessoas.

O Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) publicou uma carta denunciando as ameaças de morte, pressões psicológicas e insegurança que a militante Rosimeire Rodrigues Nardes de Campos, moradora de Poconé (MT), vem sofrendo. Rosimeire é presidente da Associação de Minis e Pequenos Produtores Rurais da Baía do Campo.

Veja carta na íntegra: