Região Centro Oeste

Atividade ocorre de 7 a 10 de julho, na Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão, e deve reunir mais de cinco mil pessoas.

O Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) publicou uma carta denunciando as ameaças de morte, pressões psicológicas e insegurança que a militante Rosimeire Rodrigues Nardes de Campos, moradora de Poconé (MT), vem sofrendo. Rosimeire é presidente da Associação de Minis e Pequenos Produtores Rurais da Baía do Campo.

Veja carta na íntegra:

O MST ocupou duas fazendas improdutivas na região Sudoeste em Mato Grosso, na manhã da terça-feira (14/6). Mais de 120 famílias estão acampadas na Fazenda Rancho Verde, um latifúndio localizado no município de Cáceres. Mais 250 famílias entraram na Fazenda Mutum, município de Glória d’Oeste.

Cerca de 500 atingidos participam de audiência pública para debater o relatório que aponta violações dos direitos humanos na construção de barragens.

O Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB) realizou, de 06 a 09 de março, reuniões com a população atingida pela Hidrelétrica de Colíder, prevista para ser construída no norte de Mato Grosso. As reuniões reuniram representantes dos movimentos sociais da Via Campesina, SINTEP- Subsede Colider, pescadores e agricultores.

O Juiz Federal de Sinop/MT, Murilo Mendes, acatou a ação do Ministério Público Estadual (MPE) e determinou, em caráter liminar, a suspensão da audiência pública referente ao licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica de Sinop. A audiência aconteceria na noite de hoje.

Após analisar os dados dos Censos Agropecuários do IBGE de 1996 e 2006, a professora da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) Resemeire Aparecida de Almeida, contesta a eficiência do agronegócio. De acordo com suas análises, no Paraná e no Mato Grosso do Sul, o agronegócio está se apropriando das melhores terras, o que provocou um recuo das áreas destinadas ao plantio de arroz e feijão. Ela concluiu que a agricultura familiar impediu uma crise no abastecimento de alimentos.

Cerca de 800 agricultores atingidos por barragens ocuparam, hoje (8/3), a hidrelétrica de Manso, no Mato Grosso. Eles pressionam para o cumprimento do Termo de Acordo Global, feito em 2005, e que ainda não foi cumprido pela empresa estatal Furnas.