Região Nordeste

Atingidos pela barragem de Sobradinho há mais de 30 anos, apenas agora os ribeirinhos estão recebendo energia em suas residências. Eles foram submetidos a viver de forma  precária, sem os direitos fundamentais como acesso à água, moradia, terra, educação, saúde e principalmente sem energia elétrica. A partir da organização e luta ainda na década de 70, os atingidos avançam na busca dos direitos, conquistando cisternas, a produção em hortas e o acesso à energia elétrica.

O MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), em aliança com outras organizações da Via Campesina e com entidades urbanas, realiza uma marcha pelas avenidas da cidade de Santa Maria da Boa Vista (PE), nesta manhã (28/5). O ato faz parte da Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina.

Ontem (12/05) o MAB, MST, pastorais sociais e estudantes fizeram um ato público, com 600 pessoas, no município de Limoeiro do Norte, no interior do Ceará, em defesa da lei que proíbe a pulverização aérea de lavouras pelas empresas de fruticultura irrigada na região do Baixo Jaguaribe.

Desde a manhã de hoje (7 de maio) cerca de 400 famílias ameaçadas pela barragem de Riacho Seco e Pedra Branca estão mobilizadas na comunidade Cerca de Pedra, no município de Curaça/BA, contra a construção das duas usinas. Dois funcionários da Chesf, empresa interessada na construção das obras, foram impedidos de deixar a comunidade, depois de fazerem mais uma de suas visitas. Em assembléia, eles decidem quais serão as ações para amanhã e para os próximos dias.

Do MPA

Chega ao quarto dia o Encontro Nacional dos Pequenos Agricultores, que acontece na cidade de Vitória da Conquista, na Bahia, com o tema “Plano Camponês, por soberania alimentar e poder popular”. O encontro reúne cerca de 1000 camponeses e camponesas de 17 estados do país, que vêm discutindo uma nova proposta de produção para o campo brasileiro.

Fruto do acampamento realizado na semana passada em Sobradinho (BA), na próxima quarta-feira (24) os atingidos pelas barragens de Sobradinho, Riacho Seco e Pedra Branca, e a direção regional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), serão recebidos em audiência pela diretoria da Companhia Hidroelétrica do São Francisco - Chesf, em Recife, na sede da empresa.

Cerca de 800 representantes de comunidades atingidas por barragens ocuparam nesta manhã (17) o escritório da Companhia Hidroelétrica do São Francisco - CHESF, em Sobradinho (BA). Eles reivindicam a paralisação imediata dos projetos de construção das barragens de Riacho Seco e Pedra Branca, que ameaçam cerca de 20 mil pessoas, e a suspensão do projeto de Transposição do Rio São Francisco.

Na noite de ontem, 15 de março, atingidos pelas barragens de Sobradinho, Itaparica, Riacho Seco e Pedra Branca iniciaram um grande acampamento em Sobradinho, na Bahia. No ato de abertura estiveram presentes autoridades e representantes de várias entidades, entre elas prefeitos, religiosos, militantes de movimentos sociais, sindicalistas e outros. Cerca de 500 pessoas participam da ação que faz parte da jornada do Dia Internacional de Luta contra as Barragens, comemorado no dia 14 de março.