Região Sudeste

“Este foi um ato político de denúncia da impunidade no campo brasileiro, onde todo ano o sangue de trabalhadores é derramado sem que a justiça cumpra seu papel”, disse um dos coordenadores estaduais do MAB

Um grupo de atingidos por barragens de Minas Gerais doou sangue hoje (19) na Fundação Hemominas - Posto de Coleta de Betim. Eles participam do encontro Estadual do MAB, que acontece desde ontem, e a doação foi um ato simbólico que relembra o assassinato de cinco trabalhadores na cidade mineira de Felisburgo.

Cerca de 250 militantes de várias regiões de Minas Gerais participam do Encontro Estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que se realiza na cidade de Betim, entre os dias 17 e 20 de novembro. O objetivo do encontro é fazer um balanço da organização dos atingidos no estado e a preparação para as lutas do próximo ano.

Depois de caminhar 70 km, saindo de Miguel Rodrigues (MG) no dia 29/07, a Marcha do MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens – chegou no dia 31 a Ponte Nova e ontem, dia 1º/08, participou do abraço ao Rio Piranga, juntamente com participantes do Fórum Social pela Vida e convidados da cidade. Após a caminhada, as 2000 pessoas que participavam do ato circularam um trecho do rio, como símbolo de resistência à construção de barragens.

Os atingidos por barragens de Minas Gerais iniciaram hoje (29/07) a “Marcha pela terra, pelos direitos e contra as barragens”. A marcha saiu pela manhã do Acampamento Dom Luciano, organizado desde o último dia 14 de março às margens da barragem da Fumaça, no município de Diogo de Vasconcelos.

O dia 20 de julho marcou um passo importante na conquista dos trabalhadores, no que diz respeito ao acesso à  universidade. Depois de quatro etapas realizadas no correr de dois anos, se formou a primeira turma do curso de especialização extensão Energia e Sociedade no Capitalismo Contemporâneo - turma Haydeé Santamarí­a - numa parceria de sucesso entre o Movimento dos Atingidos por Barragens e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR), da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Na manhã de hoje (7), cerca de 500 famílias ligadas à Via Campesina ocuparam a sede da Superintendência do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), em Belo Horizonte (MG). Os manifestantes cobram do órgão agilidade da Reforma Agrária, em especial para as famílias já acampadas.

Da Comunicação da CPT

De hoje até o dia 21 de maio, se realiza em Montes Claros, norte mineiro, o III Congresso Nacional da CPT. O evento reunirá cerca de 900 pessoas, entre agentes da pastoral, trabalhadores e trabalhadoras do campo.

Por CPT

Com o lema “No clamor dos povos da terra, a memória e a resistência em defesa da vida”, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) realiza seu terceiro Congresso Nacional, na cidade de Montes Claros (MG), semiárido brasileiro. Entre os dias 17 e 21 de maio, o evento irá receber cerca de 800 pessoas, entre agentes da pastoral da terra, trabalhadores, trabalhadoras, convidados, representantes de movimentos sociais e estudiosos de todo o país.

Famílias atingidas por barragens em Minas Gerais estão mobilizadas desde o último 14 de março, Dia Internacional dos Atingidos por Barragens. No dia 20/04 fizeram panfletagem em Belo Horizonte contra a Usina de Belo Monte e no dia 28/04, realizaram uma Marcha na Zona da Mara mineira, saindo do Acampamento Dom Luciano e indo até à Casa de Força da Novelis, uma empresa transnacional do setor elétrido e de alumínio, com sede na Índia, que construiu a barragem de Fumaça.

No ultimo sábado (27) um grupo de estudantes dos cursos de Biologia e Geografia da Universidade Federal de Viçosa (UFV) visitaram o acampamento organizado pelo MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) às margens da PCH Fumaça no distrito de Miguel Rodrigues em Diogo de Vasconcelos. A visita foi feita numa parceria entre o Centro Acadêmico de Biologia e a Assessoria de Movimentos Sociais da Universidade.