Região Sudeste

Encontro homenageou a militante Nicinha, assassinada na Usina de Jirau

Wallace Oliveira do Brasil de Fato

José Araújo Silva, 60 anos, também conhecido como Brilhoso, veio de Degredo, distrito de Linhares, no Espírito Santo, para conhecer a realidade dos atingidos pela Samarco que moram em Mariana e região. Ele ouve atento as denúncias, os relatos, vê as lágrimas de homens e mulheres que choram a destruição das comunidades, a poluição dos rios, os impactos profundos e crescentes provocados pelo rompimento da Barragem de Fundão, ocorrida há 10 meses.

Os ônibus vão chegando. Trazem uma juventude animada, crianças agitadas e felizes, mães, pais, avós, homens e mulheres trabalhadores e trabalhadoras dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Bahia e das diversas regiões de Minas Gerais e do Espírito Santo onde o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) está organizado, especialmente dos municípios atingidos pela lama da Samarco.

O encontro acontece no distrito de Paracatu com o objetivo fortalecer a união dos atingidos em torno de um debate comum e de uma organização forte e unificada com o intuito de garantir os direitos.

Dom Luciano foi presente na construção e fortalecimento do MAB em Minas Gerais e continua presente nos momentos atuais com ensinamentos de justiça social, amor ao povo e à vida

Doenças, morte de animais e a lentidão para recebimento de direitos são denunciadas durante Mutirão de Trabalho de Base

Samarco ignora a pauta sobre água durante as reuniões com as comunidades e moradores pedem laudo do Ministério Público no Vale do Aço.

Para gerar divisão na comunidade, a empresa escolhe alguns atingidos para receber o auxílio financeiro e pede para que eles não contem sequer para os vizinhos. A outros entrega cesta básicas, uma ação degradante e absurda.

Na noite da última quarta-feira (10) garimpeiros e pescadores atingidos pela Samarco nas cidades de Rio Doce realizaram uma assembleia geral organizada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

 

Fotos: Lidyane Ponciano

Em 5 de novembro de 2016 estaremos em Bento Rodrigues para reforçar que só a luta e a organização garante os direitos.

Jovens, produtores rurais e geraiseiros da cidade de Grão Mogol (MG), atingidos pela mineração e monocultura de eucalipto, iniciaram nesta semana a implantação do primeiro projeto de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS).  O projeto, firmado em 2015 entre a Fundação Banco do Brasil, BNDS e Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social (AEDAS), beneficiará 175 famílias no estado.