Região Sul

Cerca de 1200 camponesas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) ocuparam, na manhã desta terça-feira (8), o prédio da superintendência regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Porto Alegre (RS).

Durante os dias 18 e 19 de fevereiro, aproximadamente 200 pessoas participaram, na Comunidade de Santa Fé Baixa, no município de Itapiranga (SC), do Encontro Estadual dos Atingidos por Barragens.

Entre os dias 18 e 19 de fevereiro, a cidade de Itapiranga será sede do “I Encontro Estadual dos Atingidos de Santa Catarina”. 

Segundo Luis Dalla Costa, da coordenação nacional do MAB, o encontro representa uma celebração histórica dos atingidos da região sul e o fortalecimento da organização catarinense:

Na noite da última quarta-feira, 09 de dezembro, a APP Sindicato sediou, em Curitiba, o evento “Modelo Energético, Violação de Direitos, Meio ambiente e a Luta das mulheres”.

Pela primeira vez na história, a luta dos atingidos por barragens garantiu que vítimas de enchentes à jusante de barragem fossem ressarcidas

No Rio Grande do Sul, atingidas debatem o modelo energético e a violação dos direitos das mulheres na construção de barragens.

O documentário "Garabi Panambi: a Última Batalha do Rio Uruguai, produzido pelo Coletivo de Comunicação do MAB, foi premiado como Melhor Curta (Temática Ambiental Água), no 2º Festival de Cinema de Três Passos-RS.

O curta narra a trajetória de resistência da população que vive às margens do último trecho sem barragens do rio Uruguai, entre a divisa do Brasil e Argentina. Desde 2008 a população revive um drama antigo: o projeto binacional de construção das hidrelétricas de Garabi e Panambi.  

Famílias comemoram conquista da terra no RS, após ocuparem por mais de um ano a Fazenda São Clemente.

Foto: Leandro Molina

Comunicação Via Campesina RS

Ato comemorativo com entrega de 2.045 hectares de terra será realizado nesta sexta-feira (9), em Esmeralda (RS)

Brasil tem capacidade e recursos para produzir energia a baixo preço, mas privatização do setor impede isso.


por Pedro Carrano, do Brasil de Fato