Acauã

Remoção está prevista para começar em 14 de setembro

Por Justiça em Foco


Na última quarta-feira (29), cerca de 100 famílias ocuparam a Estação de Tratamento de Água (ETA), controlada pela Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (CAGEPA), localizada no município de Aroeiras (PB), para reivindicar o abastecimento de água na comunidade de Pedro Velho.


Representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e do Governo Estadual da Paraíba aprovaram, nesta quinta-feira (23), a criação de um Grupo de Trabalho (GT) para minimizar os problemas da população atingida pela barragem de Acauã.

Na reunião desta quarta-feira (02), presidida pela Ministra da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Maria do Rosário, o Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) aprovou o relatório de monitoramento da barragem de Acauã, elaborado pelo Grupo de Trabalho para monitorar as recomendações do relatório sobre violações de Direitos Humanos em Barragens no Brasil.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizará na próxima quinta-feira (14) uma grande assembleia com famílias atingidas por barragens e por obras da transposição de águas na Paraíba. O objetivo é denunciar a violação dos direitos humanos e construir a pauta reivindicatória para cobrar do governo federal e estadual os direito historicamente negados a estas famílias, como afirma o Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) ligado a Presidência da Republica.  

Durante a tarde de ontem (04), militantes do MAB participaram de uma solenidade com a presidenta Dilma às margens da barragem de Acauã, no município de Itatuba. Na solenidade, as lideranças do Movimento entregaram à presidenta uma carta  com documentos anexos cobrando do Estado brasileiro a dívida histórica das 2 mil famílias que há 10 anos foram expulsas de suas terras para dar lugar à barragem de Acauã.

O objetivo da reunião foi discutir soluções viáveis para o atendimento das reivindicações existentes desde a formação do lago, há 12 anos. 

Militantes do MAB e da Via Campesina protestaram ontem (20/03) na Paraíba e fecharam a BR 104 que liga Campina Grande à cidade de Queimadas. Os manifestantes protestam contra a violência no campo e exigem uma audiência com a Secretaria de Segurança Pública do estado. O protesto foi organizado pelo Fórum em Defesa da Agricultura Familiar e da Reforma Agrária.