América Latina

No Paraguai, os últimos dias foram de grandes mobilizações e intensos debates sobre o modelo energético. Representantes do Movimento dos Atingidos por barragens (MAB) estiveram participando dos eventos´.

No próximo dia 23 de janeiro, os moradores de Jaguaretama, no Ceará, farão um grande ato político de recepção aos militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que retornam do Haiti. Desde março do ano passado eles participam da ação de solidariedade da Via Campesina ao povo haitiano, com uma brigada de 28 militantes que ajudou naquele país após o terremoto de janeiro 2010.

Hoje, 10 de novembro, ações estão acontecendo em todo o mundo contra a construção da barragem El Zapotillo, no México. Os 320 participantes do 3º Encontro Internacional dos Atingidos por Barragens, que aconteceu em outubro passado em uma das comunidades ameaçadas, saíram do evento com o compromisso de realizar ações nos 54 países de origem, pedindo o cancelamento imediato da barragem.

Os olhos do mundo estão postos em Temaca. Com este tema, os moradores de Temacapulín, estado de Jalisco, no México, sensibilizaram os 320 participantes do 3º Encontro Internacional dos Atingidos por Barragens - 1º a 7 de outubro de 2010 – para o grande problema da barragem de El Zapotillo. A declaração do 3º Encontro Internacional dos atingidos indicou a data de 10 de novembro para que ações contra a barragem sejam realizadas no maior número de países possível, junto aos consulados e embaixadas mexicanas, assim como outras ações de protesto e contestação.

Entrevista com Soniamara Maranho, do MAB, no 3º Encontro Internacional dos Atingidos por barragens

Rádio Mundo Real

Em entrevista para a Rádio Mundo Real no 3º Encontro Internacional de Atingid@s por Barragens que se realiza com mais de 300 delegados de todo o mundo no povoado de Temaca, Estado mexicano de Jalisco, a militante Soniamara Maranho, do MAB, explicou qual é o contexto mundial que tem desatado um fervor econômico pela construção de barragens.

Desde sábado, 2 de outubro, cerca de 350 pessoas representantes de movimentos sociais e demais organizações de 60 países estão em Temacapulin, no México, para o 3° Encontro Internacional dos Atingidos por Barragens. Os delegados foram recebidos pelos moradores do local, que há cinco anos resistem à construção da barragem El Zapotillo.

Rádio Mundo Real

Dialogamos com María Alcaraz Martínez, habitante de Temaca, sobre os cinco anos de luta de sua comunidade contra a barragem El Zapotillo e o Encontro Internacional “Rios para a Vida 3”.

“Soubemos que pensava-se construir uma barragem em El Zapotillo e que nosso povo, Temaca, ficaria sob água... o Governo jamais veio nos informar”.

Rádio Mundo Real

Catorce siglos de patrimonio cultural, una hermosa basílica de 250 años de construida, reserva de aguas termales sanadoras y un paisaje humano y cultural exuberante son entre otros los “tesoros” que quedarían sumergidos -en un área total de cuatro mil hectáreas de espejo de agua- de prosperar la megarepresa de acopio de agua El Zapotillo, cercana a la población de Temacapulín en Jalisco, México.

De 2 a 7 de outubro acontecerá em Temacapulín, no México, o 3º Encontro Internacional do Atingidos por Barragens. Mais de 300 atingidos por barragens, representantes de organizações civis e de movimentos sociais de todo o mundo se reunirão para compartilhar experiências e informações, desenvolver estratégias coletivas e fortalecer o movimento internacional de luta contra as barragens.

Do Cimi

Nesta quarta-feira, 22 de setembro, representantes do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e da Via Campesina realizaram ato simbólico em frente à embaixada do Chile, no Brasil.

O objetivo da manifestação foi protocolar um documento destas entidades relacionado à greve de fome de indígenas mapuche no país, que já dura mais de 60 dias e protestam contra a lei Antiterror.