América Latina

Da Página do MST

Nesta quarta-feira (22/9), às 10h, entidades e movimentos sociais brasileiros – entre eles, a Via Campesina Brasil - promovem ato em frente ao Consulado do Chile em São Paulo.

As entidades manifestam sua solidariedade e preocupação com o estado de saúde dos presos políticos do Povo Mapuche que estão há mais de 60 dias em greve de fome, em defesa de seus territórios e contra a lei Antiterror que criminaliza as lutas sociais.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Fórum Boliviano de Meio Ambiente e Desenvolvimento (FOBOMADE) e a organização Espanhola SETEM estarão denunciado as empresas GDF-SUEZ, integrante do Consórcio Energia Sustentável do Brasil (proprietário da Usina Hidrelétrica de JIRAU), o banco português Banif e o banco Espanhol Santander, respectivamente integrante e ex-integrante do Consórcio Santo Antônio Energia (proprietário da UHE Santo Antonio) de violar os Direitos Humanos durante o planejamento e início de

Vinicius Mansur

As comunidades agroecológicas Tierra Hermosa e Chirimoyas, localizadas na província Velasco, no departamento de Santa Cruz, na Bolívia, foram atacadas por um grupo armado com escopetas e rifles, sendo obrigadas a deixar suas terras. Essa foi a denúncia protocolada nesta quinta-feira (29) pelo Movimento de Trabalhadores Camponeses Indígenas Sem Terra (MST) da Bolívia.

De 19 a 22 de abril aconteceu em Cochabamba, na Bolívia, a “Conferência Mundial dos Povos sobre Mudanças Climáticas e os Direitos da Mãe Terra”. Organizações populares do mundo inteiro participaram para debater sobre as conseqüências do sistema capitalista sobre as mudanças climáticas e a luta a ser travada pelas organizações sociais e populares.

'Pi ti, Pi ti, zwazo fé nich'
(Pouco a pouco, o pássaro faz seu ninho)

As conquistas da classe trabalhadora são árduas e escassas. Os opressores buscam de todas as formas sufocá-las. E, quando não o conseguem, a única saída é mantê-las no anonimato, para que seu exemplo não seja difundido e seguido.

Representantes sociais e sindicais do Canadá, Chile, Argentina, Guatemala, Peru e Moçambique realizam entre os dias 12 a 15/4, no Rio de Janeiro, o 1º Encontro de Populações, Comunidades, Trabalhadores e Trabalhadoras afetados pela política agressiva e predatória da companhia Vale - antiga Vale do Rio Doce.