Baixo Iguaçu

Há mais de quatro anos, atingidos do sudoeste do Paraná lutam para conquistar direito ao reassentamento e indenização justa



Após longo período de denúncias e cobranças dos atingidos, finalmente no dia 14 de março de 2017, por meio de uma portaria do governo do estado Paraná, institui-se uma comissão multidisciplinar para acompanhar o cumprimento das condicionantes do licenciamento da Usina Hidrelétrica (UHE) Baixo Iguaçu.

Agricultores reivindicam participação do movimento no cadastro físico dos atingidos pela hidrelétrica em fase de construção no sudoeste do Paraná


Prevista para ser inaugurada este ano, hidrelétrica continua negando direitos dos atingidos no Sudoeste do Paraná

Acaba nesta terça-feira (6) o prazo estabelecido para o Consórcio da hidrelétrica Baixo Iguaçu, atualmente em fase de construção em Capanema (PR), responder às reivindicações dos atingidos

Empresa responsável pela hidrelétrica de Baixo Iguaçu demonstra descaso com atingidos e autoridades do estado do Paraná

Uma semana antes do assassinato de dois agricultores sem terra na região de Quedas do Iguaçu (PR) – tragédia ocorrida no dia 7 de abril de 2016 -, o secretário da Casa Civil e deputado federal, Valdir Rossoni (PSDB), reuniu-se com lideranças regionais e representantes da madeireira Araupel, comprometendo-se em resolver o conflito na área grilada pela empresa.

Famílias atingidas decidem em assembleia deixar portão de acesso a Usina Baixo Iguaçu

As Comissões de Direitos Humanos do Senado, Câmara e da Assembleia Legislativa do Paraná realizam audiência pública conjunta no dia 18 de dezembro em Capanema, para debater a violação dos direitos das famílias que perderam suas propriedades e meios de vida em função da construção da Usina Hidrelétrica do Baixo Iguaçu. 

Cerca de 200 pequenos agricultores protestam em frente ao canteiro de obras da Usina Hidrelétrica (UHE) do Baixo Iguaçu, em Capanema, Sudoeste do Paraná. A ação ocorre para pressionar o governo do estado e o Consórcio Energético Baixo Iguaçu, formado pela empresa Neoenergia e pela Copel, a apresentarem uma nova proposta de reassentamento às famílias que terão terras inundadas total ou parcialmente pela usina.

Após desocupação violenta da PM na última quinta-feira (8), que resultou em diversas pessoas feridas e três detenções, atingidos protestaram nas ruas do Paraná