Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

Após três dias de ocupação da sede do Ibama, os atingidos por Belo Monte tiveram sua pauta atendida. O órgão vai manter a determinação para que a Norte Energia realize o cadastro socioambiental das 500 famílias da lagoa do Independente 1.

Moradores do bairro alagadiço Independente I reivindicam o reconhecimento como atingidos e a realocação para novas casas

Setores do agronegócio brasileiro estão revoltados com a escola Imperatriz Leopoldinense. Neste Carnaval, a escola de samba carioca apresenta como tema “Xingu, o clamor que vem da Floresta”. A agremiação homenageia os indígenas do Parque Indígena do Xingu (Mato Grosso) e faz referência à luta desses povos contra as ameaças à sua sobrevivência e à natureza.

The Norte Energia, concessionaire of the Belo Monte hydroelectric plant, will have to make the socioeconomic register of the residents of the Lagoa do Bairro Independente 1, in Altamira. The determination was issued by IBAMA on this Monday (5), after more than two years of struggle and organization of the community with the Movement of People Affected by Dams (MAB).

A Norte Energia, concessionária da hidrelétrica de Belo Monte, terá que fazer o cadastro socioeconômico dos moradores da lagoa do bairro Independente 1, em Altamira. A determinação foi expedida pelo Ibama nesta segunda-feira (5), após mais de dois anos de luta e organização da comunidade junto ao Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Aconteceu na tarde desta sexta-feira (11 de novembro) o seminário “Mineração no Xingu: o que aprender com o crime no Rio Doce?”, no auditório central da Universidade Federal do Pará (UFPA), campus de Altamira (PA). A atividade foi organizada pelos movimentos populares em parceria com a universidade. A região, já atingida pela barragem de Belo Monte, sofre com a ameaça do megaprojeto de extração de ouro a céu aberto Belo Sun, da canadense Belo Sun Mining, controlada por bancos privados do Canadá e EUA.

Após mais de um ano, um grupo de integrantes do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) retornou à região de Altamira para verificar como está a situação dos direitos humanos na região impactada pela hidrelétrica de Belo Monte.

A casa de Glaucilene está cheia de infiltrações em todos os cômodos. As paredes apresentam marcas de mofo, a água chega a escorrer pelo chão, estragando a mobília. A instalação elétrica está comprometida, com várias tomadas que não funcionam.

Moradores da lagoa do bairro Independente 1 ocuparam a sede do Ibama em Altamira nesta segund-feira (26 de setembro). O objetivo é pressionar o governo federal para encaminhar uma solução para garantir o direito à moradia de 500 famílias atingidas por Belo Monte e que não são reconhecidas como tal pela Norte Energia.

Passar mais de cinco dias sem água para beber ou para tomar banho e realizar os afazeres domésticos é uma realidade que se imagina nos sertões do nordeste brasileiro. Mas pasme: essa situação está acontecendo em plena Amazônia, em uma cidade banhada por um de seus grandes rios, o Xingu.

Moradores do Jatobá, um dos loteamentos construídos pela Norte Energia para realocar os atingidos por Belo Monte em Altamira, trancaram na manhã desta terça-feira (13) o acesso ao bairro para protestar. A falta de água é constante no local e dessa vez já estão há cinco dias de torneiras secas.