Banner-site_Belo-Monte

Belo Monte

A marcha marcou o encerramento do Encontro Nacional da Juventude do MAB

Violações serão discutidas na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, que convocou cinco ministros para debate

Adital - Tatiana Félix

A polêmica sobre a instalação de uma usina hidrelétrica no Rio Xingu, localizado no estado do Pará, há décadas divide opiniões. O governo defende que a obra é necessária para garantir o abastecimento de energia elétrica para o país nos próximos anos. Porém, os impactos ambientais podem trazer muito mais danos do que benefícios, afetando não só o ecossistema, mas, principalmente, as famílias da região.

Do IHU

“Nenhum rio, no Brasil e no mundo, pode suportar a construção de cinco hidrelétricas, ou até menos, em sequência. Hidrelétricas causam prejuízos imensuráveis à biodiversidade”, desabafa Telma Monteiro no início da entrevista que concedeu à IHU OnLine.

Cerca de 300 atingidos por barragens da Amazônia participam, desde ontem (14/3) do acampamento que tem como lema “Contra a barragem de Belo Monte, em defesa da Amazônia”, na região de Altamira, no Pará. O acampamento faz parte da Jornada do Dia Internacional de Luta contra as barragens, comemorado no dia 14 de março.

O Governo Lula possui méritos inegáveis na questão social. Mas na questão ambiental é de uma inconsciência e de um atraso palmar. Ao analisar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) temos a impressão de sermos devolvidos ao século XIX. É a mesma mentalidade que vê a natureza como mera reserva de recursos, base para alavancar projetos faraônicos, levados avante a ferro e fogo, dentro de um modelo de crescimento ultrapassado que favorece as grandes empresas à custa da depredação da natureza e da criação de muita pobreza.

Moisés Ribeiro, coordenador e integrante da direção do Movimento dos Atingidos por Barragens, narra , em entrevista, por telefone, à IHU On-Line, a recente audiência do MAB com o presidente Lula. Segundo ele, "Lula agiu muito tranquilamente. A fala dele foi neste sentido, dizendo que nós não iríamos convergir em muitos aspectos, mas que ele entendia que, aqueles que são obrigados a se deslocarem por causa da construção de uma barragem, têm direito de viver com dignidade.

Brasília/DF, 04 de fevereiro de 2010

Excelentíssimo Senhor Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente da República

Brasília/DF

Aqui estamos, neste encontro com Vossa Excelência, porque acreditamos que o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), cumpre um papel histórico em defesa dos direitos do povo atingido, somos parte da luta popular em nosso país e estamos convencidos que nossa ação contribui na luta permanente contra todas as estruturas injustas da sociedade.