Belo Sun

Os atingidos denunciam as violações de direitos com a construção de Belo Monte e a ameaça de uma nova tragédia socioambiental na região com a instalação do projeto de extração de ouro da transnacional Belo Sun

O juiz Álvaro José da Silva Souza, da Vara Agrária de Altamira (PA), suspendeu a licença de instalação do projeto Volta Grande de Ouro, da Belo Sun, empresa canadense que pretende iniciar um megaprojeto de extração de ouro na área de impacto da hidrelétrica de Belo Monte (PA). 

Mais um grande projeto ameaça a Volta Grande do Xingu, região já impactada pela hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. A empresa canadense Belo Sun quer extrair cerca de 108 toneladas de ouro em 17 anos, no maior projeto de extração de ouro a céu aberto do país. 

Aconteceu na tarde desta sexta-feira (11 de novembro) o seminário “Mineração no Xingu: o que aprender com o crime no Rio Doce?”, no auditório central da Universidade Federal do Pará (UFPA), campus de Altamira (PA). A atividade foi organizada pelos movimentos populares em parceria com a universidade. A região, já atingida pela barragem de Belo Monte, sofre com a ameaça do megaprojeto de extração de ouro a céu aberto Belo Sun, da canadense Belo Sun Mining, controlada por bancos privados do Canadá e EUA.

O Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração realizou durante os dias 27 e 28 de outubro em Brasília o segundo seminário nacional para discutir os impactos socioambientais de grandes empreendimentos da mineração.

O Comitê Nacional foi criado para ser um espaço de discussão entre várias organizações sociais (sindicatos, cooperativas, movimentos populares, ONGs, etc) que atuam em defesa dos territórios e que são contra a violação dos direitos humanos a partir da implementação de grandes projetos na área da Mineração.

The Canadian mining company Belo Sun plans to extract gold from the region of Volta Grande do Xingu and “bought” public land without consulting the Federal Institute for Colonization and Agrarian Reform – INCRA. The denounce, was made by the INCRA during the public audience held by the Public Ministry of the state of Pará (MPE), due to the demand of the people affected by the open gold mining projects in Brazil.

A mineradora canadense Belo Sun, que pretende extrair ouro da região da Volta Grande do Xingu, adquiriu terras públicas sem consultar o Incra, denunciou servidor do órgão. A denúncia da irregularidade aconteceu durante audiência pública convocada pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPE), como atendimento a uma demanda dos atingidos pelo maior projeto de mineração de ouro a céu aberto do Brasil.

Integrantes do Grupo de Trabalho que discute Empresas e Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) estiveram em Altamira neste domingo (13) para checar as denúncias de violações de direitos humanos provocadas pela construção da hidrelétrica de Belo Monte.

Dezenas de famílias da Volta Grande do Xingu ocuparam o escritório e o alojamento da mineradora transnacional canadense Belo Sun na Vila da Ressaca e porto do Itatá na manhã de ontem (30 novembro). Eles exigem a saída da empresa da região e o retorno da atividade garimpeira, que sustenta os moradores do local e está impedida pela Belo Sun.

Garimpeiros artesanais da Volta Grande do Xingu tiveram nessa terça-feira (28) uma reunião com representantes da mineradora canadense Belo Sun Mining, na Vila da Ressaca, localizada entre as duas barragens do complexo Hidrelétrico Belo Monte. O vilarejo onde vivem 300 famílias está ameaçado pelo projeto de extração de ouro da transnacional.