Via Campesina

As organizações sociais reivindicam a criação de uma Política Nacional Camponesa que apresente alternativas aos limites enfrentados no campo para acesso aos conhecimentos, à saúde, à moradia, ao saneamento básico, ao lazer, à cultura, bem como, garanta as condições técnicas produtivas para a produção de alimentos saudáveis.

Nós, dos movimentos sociais e organizações que compõe a Via Campesina Brasil, junto a outros movimentos populares do campo e da cidade, vimos por meio dessa declarar nosso repúdio a eleição do Deputado Federal Marco Feliciano (PSC-SP) à presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, no dia 05 de março deste ano.

Cerca de duzentas mulheres ligadas aos movimentos do campo e da cidade de Marabá realizaram no oito de março um ato em frente a prefeitura da cidade as atividades referente ao dia internacional das mulheres.

Desde o dia 4 de março, as mulheres camponesas realizam a Jornada de Luta das Mulheres da Via Campesina, quando acontece uma série de atividades em todo o Brasil que relembram o 8 de março.

O trabalhador rural e militante do MST Cícero Guedes foi assassinado por pistoleiros nesta sexta-feira (25/1), nas proximidades da Usina Cambahyba, no município de Campos dos Goytacazes (RJ).

Vídeo resumo da Via Campesina na Cúpula dos PovosAssista o vídeo resumo da participação da Via Campesina na Cúpula dos Povos, que se realizou de 17 a 21 de junho de 2012 no Rio de Janeiro, em parelo à Conferência das Naçõe Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20.

 

 

Uma turma de 66 camponeses e camponesas da América Latina vai receber o diploma de graduação em engenharia em agroecologia pelo Instituto Universitário Latinoamericano de Agroecologia  (IALA)  Paulo Freire, na Venezuela, neste mês de julho.

Esta é a primeira turma do curso e conta com educandos de sete países: Brasil, Paraguai, Equador, Nicarágua, Colômbia, México e Venezuela. O curso é um convênio entre o governo bolivariano da Venezuela e a Via Campesina Internacional.

 

Para dizer não à mercantilização da natureza e da vida, a Via Campesina Internacional mobilizará cerca de 3 mil delegadas e delegados de todo o mundo a partir de 17 de junho na Cúpula dos Povos por Justiça Social e Ambiental e em Defesa dos Bens Comuns, que acontece entre 15 e 23 de junho no Rio de Janeiro - em paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Luiz Zarref, da Via Campesina, fala sobre o avanço do capitalismo verde na Rio+20 e a importância da Cúpula dos Povos. Assista aos vídeos.