Via Campesina

Cerca de 600 pessoas ligadas aos movimentos sociais da Via Campesina iniciaram na manhã de hoje (16), uma marcha de Tabaí, no Vale do Taquari, até Porto Alegre pelo acostamento da BR 386. O objetivo é renegociar as dívidas dos pequenos agricultores.

As entidades e movimentos que compõem a Via Campesina (o MAB, o MST, a Comissão Pastoral da Terra e a Pastoral da Juventude Rural) e representantes da Escola Família Agrícola de Porto Nacional se reuniram na quinta-feira (28) com o professor Danilo de Melo Souza, secretário estadual de Educação do Tocantins, com o objetivo de debater a melhora da educação no campo e assim criar condições aos trabalhadores rurais de ter acesso ao latifúndio do conhecimento.

O deputado federal Aldo Rebelo, relator do projeto de reforma do Código Florestal, afirmou que o governo propõe o “extermínio" da agricultura familiar ao pedir que os pequenos produtores tenham área de reserva legal dentro de suas propriedades.

Na manhã de hoje (7), cerca de 500 famílias ligadas à Via Campesina ocuparam a sede da Superintendência do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), em Belo Horizonte (MG). Os manifestantes cobram do órgão agilidade da Reforma Agrária, em especial para as famílias já acampadas.

Cerca de 500 sem terras, atingidos por barragens e pequenos agricultores organizados na Via Campesina realizam uma marcha de 13km, no município de Curitibanos (SC), nesta manhã (28/5). O ato faz parte da Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina que luta pela anistia das dívidas dos agricultores e por mais investimentos na agricultura camponesa.

A marcha saiu de um acampamento do MST e irá até o Banco do Brasil. Às 15h, os movimentos participam de uma audiência pública na Câmera dos Vereadores de Curitibanos.

O MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), em aliança com outras organizações da Via Campesina e com entidades urbanas, realiza uma marcha pelas avenidas da cidade de Santa Maria da Boa Vista (PE), nesta manhã (28/5). O ato faz parte da Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina.

Cerca de 400 agricultores organizados no MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) e nos demais movimentos que compõem a Via Campesina, realizam, hoje (27/5), uma manifestação na BR 153, junto ao trevo que dá acesso a Frinape, em Erechim (RS). Atos como este acontecem em todo o país e reivindicam mais investimentos do governo federal na agricultura camponesa.

As organizações camponesas denunciam os malefícios do modelo baseado no agronegócio

Nos dias 27 e 28/5, milhares de sem terras, pequenos agricultores e atingidos por barragens, ligados à Via Campesina, estarão mobilizados em vários estados do país. Eles lutam por soberania alimentar, reforma agrária e por um novo modelo energético. Leia abaixo a plataforma para a agricultura da Via Campesina.

Ao povo brasileiro e às organizações populares do campo e da cidade

Da Página do MST

Centenas de camponeses ligados à Via Campesina protestam nesta quarta-feira (26/5) em todo o Rio Grande do Sul por mais investimentos do governo federal na agricultura camponesa. Bloqueios de rodovias e protestos integram as mobilizações, que ocorrem em Canguçu (na Região Sul), Santa Cruz do Sul (Vale do Rio Pardo) e Iraí, na divisa com Santa Catarina (confira os locais no final no texto).