Complexo do Tapajós

Aconteceu ontem (15 de abril) o primeiro Encontro das Mulheres Sem Teto organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em Itaituba, região do Tapajós (PA). A atividade aconteceu no acampamento do Km 5, uma área ocupada por famílias para lutar por moradia

Projeto realizado em parceira com a Christian Aid e com o apoio da União Europeia, contribuiu no empoderamento de mais de 300 mulheres ameaçadas por hidrelétricas no Tapajós

Do Jornal do MAB

Após um processo de lutas dos indígenas e ribeirinhos com apoio de diversas organizações, o licenciamento da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós foi cancelado pelo Ibama. A hidrelétrica é a maior prevista para ser construída no rio Tapajós (PA), com 8.040 MW de potência, e era a obra com o processo mais avançado entre as cinco hidrelétricas em estudo para o rio (além de um conjunto de 40 para a bacia, incluindo Teles Pires, em construção no Mato Grosso).

Indígenas, ribeirinhos e organizações sociais entregaram ontem (1º de dezembro) um abaixo assinado ao Ministério do Meio Ambiente contra as barragens no Rio Tapajós. Os indígenas Mundurukus também denunciam as ameaças e intimidações que estão sofrendo dos madeireiros na região, além da garimpagem ilegal nas terras indígenas e comunidades tradicionais.