Complexo Tapajós

No Dia do Índio (19 de abril), a Funai publicou no Diário Oficial da União, o Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação da Terra Indígena Sawré Muybu, do povo Munduruku, e de outras três terras indígenas no Brasil, permitindo o prosseguimento da demarcação desses territórios.

Cacique Juarez, da aldeia Sawré Muybu, na TI Sawré Muybu. Foto: Joka Madruga

O MAB expôs as arpilleras feitas pelas mulheres da Amazônia na barraca da Santa, na orla do cais, em Itaituba, nesse domingo (13 de março). É a terceira exposição do acervo na região do Tapajós.

Foram expostas 9 arpilleras construídas coletivamente pelas mulheres do MAB no Tapajós, Xingu e Araguaia-Tocantins, no Estado do Pará. Parte delas foi feita nas oficinas do projeto apoiado pela Christian Aid e União Europeia para fortalecimento da organização das mulheres do Tapajós.

Em seminário, organizações das mulheres questionam modelo de desenvolvimento pensado para o Tapajós e constroem pauta de reivindicações

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) participou na tarde de hoje (9 de março) de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) para debater “fontes alternativas” para a produção de energia.

As mulheres atingidas por barragens do Pará somaram às milhões de mulheres lutadoras desse país e foram às ruas nesse 8 de Março denunciar o abuso do preço da energia. Elas também denunciam que o modelo energético de nosso país causa graves violações de direitos humanos, sendo as mulheres as mais prejudicadas.

A entidade de cooperação Christian Aid esteve durante esta semana em Itaituba, Tapajós (PA), para ver de perto o trabalho que o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) vem desenvolvendo na região. A entidade apoia o trabalho feito pelo Movimento para o empoderamento das mulheres ameaçadas pela construção do Complexo Tapajós em parceria com a União Europeia.

Os participantes do Seminário “Direito e Desenvolvimento” em Santarém poderão conhecer as arpilleras construídas pelas mulheres do MAB na região amazônica. A exposição “Arpilleras Amazônicas: mulheres atingidas por barragens costurando seus direitos” acontece na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), durante o seminário realizado pela organização de direitos humanos Terra de Direitos, hoje e amanhã (17 e 18 de fevereiro).

Audiência alerta para riscos de barragens no Tapajós

O Ministério Público Federal (MPF) realizou uma audiência pública na tarde de ontem (29) em Santarém (PA) para discutir impactos da construção da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós e as irregularidades do estudo de impacto ambiental. Especialistas e lideranças das comunidades atingidas participaram da mesa.  Confira a seguir alguns trechos das falas dos participantes.

“Consulta póstuma”

Manifestantes fecham a rodovia desde a madrugada e exigem o início de obras de instalação de energia elétrica nas comunidades do projeto de assentamento São Benedito.

As comunidades do projeto de assentamento São Benedito, no município de Itaituba, e demais comunidades decidiram montar acampamento na estrada para exigir a implantação do programa do governo federal “LUZ PARA TODOS”. A Celpa, distribuidora de energia do Pará, é responsável pela implantação.

O acampamento tem cerca de 150 pessoas das comunidades de São Benedito, São Jorge, Nova Integração, Monte Verde, Nova Esperança, Nova Olinda, Ramal União, São Manuel e Santa Luzia III.