Dia Internacional da mulher

Cerca de duzentas mulheres ligadas aos movimentos do campo e da cidade de Marabá realizaram no oito de março um ato em frente a prefeitura da cidade as atividades referente ao dia internacional das mulheres.

Cinco blocos se concentram em cinco praças da capital e seguem em marcha até se encontrarem em um ato unitário, no Palácio da Justiça, e depois na Praça Sete. Essa é a novidade da mobilização no dia 8 de março deste ano, organizada por cerca de 30 organizações de Minas Gerais. Com o tema geral da violência sexista, cada um desses blocos vai discutir uma ramificação específica. Na Praça Rio Branco, o bloco é da luta contra a mercantilização da mulher. Na Raul Soares, a luta é contra a lesbofobia.

Desde o dia 4 de março, as mulheres camponesas realizam a Jornada de Luta das Mulheres da Via Campesina, quando acontece uma série de atividades em todo o Brasil que relembram o 8 de março.

Cerca de 500 mulheres do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam a sede da fazenda Aliança, da senadora Kátia Abreu, no município de Aliança (TO), as margens da rodovia Belém –Brasília.