Foz do Chapecó

A história de desrespeito e injustiça com as famílias atingidas por construções de barragens é uma realidade no Brasil, e em Santa Catarina a situação não é diferente. Na última quinta-feira (6), uma audiência pública promovida pela Comissão de Pesca e Aquicultura da Assembleia Legislativa, em São Carlos, Oeste do estado, demonstrou que centenas de famílias de pescadores e agricultores seguem sem obter qualquer resposta por parte do consórcio que construiu a barragem Foz do Chapecó, do Rio Uruguai.

 

Os escândalos do setor elétrico

De norte a sul do país, problemas mostram descaso das empresas com a população

Alagamento não previsto causado pela usina Foz do Chapecó

A bacia do rio Uruguai, entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, tem grande potencial para geração de energia hídrica, sendo considerada pelas empresas do setor elétrico como estratégica na geração de eletricidade. Por isso, se tornou um dos territórios brasileiros em disputa, que o capital internacional quer controlar.

Os atingidos pela Usina Hidrelétrica de Foz do Chapecó fizeram uma manifestação nesta manhã (15/03) em frente ao canteiro de obras. Eles protestam na semana do dia Internacional de Luta contra as Barragens, 14 de março, no intuito de resolver problemas que a construção da obra ainda causa às famílias atingidas.

De São Paulo, da Radioagência NP, Danilo Augusto

Os atingidos pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, construída na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, denunciam que o fechamento das comportas para formação do lago, ocorrido no último dia 25, está causando um grande desastre ambiental com o secamento de parte do rio e morte de muitos animais. “Um trecho de 6 quilômetros do rio está praticamente sem água e cerca de 17 quilômetros tem a vazão reduzida em até 80%”, firmam os atingidos.

Os atingidos pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó, mobilizados desde segunda-feira, dia 26, permanecem em vigília na estrada de acesso à obra, aguardando resultado da audiência entre representantes do MAB com o ministério de Minas e Energia, IBAMA e o Consórcio Foz do Chapecó Energia. A audiência está acontecendo em Brasília nesta tarde (29/07).

Mais de 600 agricultores organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens, no Movimento dos Pequenos Agricultores e no MST, acampados na comunidade do Saltinho, no município de Águas de Chapecó, marcham em direção ao canteiro de obras da Hidrelétrica de Foz de Chapecó nesta manhã (17).

Leia a carta final do Seminário Sobre Grandes Projetos de Energia e suas Conseqüências que aconteceu nos dias 18 e 19 de novembro, em Cerro Negro, SC

Seminário sobre Grandes Projetos de Energia e suas consequências

Comunidade Araçá, Cerro Negro, SC
18 e 19 de novembro de 2009