Mariana

O encontro acontece no distrito de Paracatu com o objetivo fortalecer a união dos atingidos em torno de um debate comum e de uma organização forte e unificada com o intuito de garantir os direitos.

Dom Luciano foi presente na construção e fortalecimento do MAB em Minas Gerais e continua presente nos momentos atuais com ensinamentos de justiça social, amor ao povo e à vida

Samarco ignora a pauta sobre água durante as reuniões com as comunidades e moradores pedem laudo do Ministério Público no Vale do Aço.

Para gerar divisão na comunidade, a empresa escolhe alguns atingidos para receber o auxílio financeiro e pede para que eles não contem sequer para os vizinhos. A outros entrega cesta básicas, uma ação degradante e absurda.

Na noite da última quarta-feira (10) garimpeiros e pescadores atingidos pela Samarco nas cidades de Rio Doce realizaram uma assembleia geral organizada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

A conversa faz parte do Mutirão de Trabalho de Base que o Movimento dos Atingidos por Barragens realiza em toda a extensão da bacia do Rio Doce.

Na noite desta quarta-feira (10), atingidos pela Samarco dos distritos de Ponte do Gama, Paracatu, Pedras e Bento Rodrigues se reuniram para um bate-papo com Edzângela Alves, atingida pela Barragem de Belo Monte, no Pará. Depois de visitar Barra Longa, ela pode contar para um grupo ampliado o processo de construção da usina.

 

Fotos: Lidyane Ponciano

Em 5 de novembro de 2016 estaremos em Bento Rodrigues para reforçar que só a luta e a organização garante os direitos.

A Samarco Mineração demonstrou mais uma vez, na tarde desta quarta-feira (16), o que pretende fazer em toda a bacia Rio Doce tendo nas mãos um acordo feito sem a participação dos atingidos.

Os representantes das empresas apresentaram a mesma conversa que se repete nas comunidades, de que a Samarco está fazendo o que deve ser feito. A empresa disse “não” a todos os pontos requeridos e jogou a pauta para dentro do acordo com o governo.

Foto: Guilherme Weimann

Respeito às vítimas da tragédia provocada pela Samarco (Vale/BHP Billiton) é o mínimo que se pode exigir dos responsáveis!

Na última quinta-feira, 28 de janeiro, moradores de Cachoeira Escura, distrito de Belo Oriente (MG), saíram às ruas para reivindicar o direito de acesso à água.