Mariana

Em 5 de novembro de 2016 estaremos em Bento Rodrigues para reforçar que só a luta e a organização garante os direitos.

Na manhã da ultima terça-feira (13), sem qualquer estardalhaço, Michel Temer se reuniu com o presidente do Sistema Findes, Marcus Guerra, em encontro organizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). Nas pautas da reunião, a retomada das atividades da Samarco, responsável pela tragédia em Mariana no ano passado.

Durante primeira audiência de conciliação com MPF, Samarco, Vale e BHP ignoram pauta dos atingidos e cobraram agilidade na liberação do dique que pode alagar comunidade

José Araújo Silva, 60 anos, também conhecido como Brilhoso, veio de Degredo, distrito de Linhares, no Espírito Santo, para conhecer a realidade dos atingidos pela Samarco que moram em Mariana e região. Ele ouve atento as denúncias, os relatos, vê as lágrimas de homens e mulheres que choram a destruição das comunidades, a poluição dos rios, os impactos profundos e crescentes provocados pelo rompimento da Barragem de Fundão, ocorrida há 10 meses.

Os ônibus vão chegando. Trazem uma juventude animada, crianças agitadas e felizes, mães, pais, avós, homens e mulheres trabalhadores e trabalhadoras dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Bahia e das diversas regiões de Minas Gerais e do Espírito Santo onde o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) está organizado, especialmente dos municípios atingidos pela lama da Samarco.

O encontro acontece no distrito de Paracatu com o objetivo fortalecer a união dos atingidos em torno de um debate comum e de uma organização forte e unificada com o intuito de garantir os direitos.

Dom Luciano foi presente na construção e fortalecimento do MAB em Minas Gerais e continua presente nos momentos atuais com ensinamentos de justiça social, amor ao povo e à vida

Samarco ignora a pauta sobre água durante as reuniões com as comunidades e moradores pedem laudo do Ministério Público no Vale do Aço.

Para gerar divisão na comunidade, a empresa escolhe alguns atingidos para receber o auxílio financeiro e pede para que eles não contem sequer para os vizinhos. A outros entrega cesta básicas, uma ação degradante e absurda.

Na noite da última quarta-feira (10) garimpeiros e pescadores atingidos pela Samarco nas cidades de Rio Doce realizaram uma assembleia geral organizada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

A conversa faz parte do Mutirão de Trabalho de Base que o Movimento dos Atingidos por Barragens realiza em toda a extensão da bacia do Rio Doce.

Na noite desta quarta-feira (10), atingidos pela Samarco dos distritos de Ponte do Gama, Paracatu, Pedras e Bento Rodrigues se reuniram para um bate-papo com Edzângela Alves, atingida pela Barragem de Belo Monte, no Pará. Depois de visitar Barra Longa, ela pode contar para um grupo ampliado o processo de construção da usina.