Mulheres

Nos dias 06 e 07 de dezembro de 2014 ocorreu em Marabá o 2º Encontro das Mulheres da  região Tocantins-Araguaia, com a participação de 21 mulheres dos municípios de Marabá, São João do Araguaia, Bom Jesus do Tocantins, Breu Branco e Tucuruí.

Aconteceu nos dias 11 e 12 de dezembro o Encontro das Mulheres Atingidas por Barragens na região do Tapajós. A atividade aconteceu na comunidade Campo Verde (Km 30) e reuniu mulheres de várias comunidades rurais e urbanas, como Baixão Bonito, Açaituba e Nova Miritituba.

A violência contra a mulher infelizmente ainda impera nos dias atuais, mostrando que o machismo e o patriarcado não foram superados em nossa sociedade. É com muita tristeza que informamos o falecimento de MARIA EDNA ALMEIDA MOREIRA, militante do MAB em Tucuruí. Edna foi brutalmente assassinada por seu vizinho, um policial militar, que atirou contra ela na porta de casa. O assasinato ocorreu no último sábado (6 de dezembro). 

Uma das atividades do encontro foi a confecção das Arpilleras, onde as atingidas com retalhos, agulhas e linhas denunciam violações dos direitos humanos cometidas contra as mulheres.

Nos dias 15 e 16 de novembro, foi realizado o Encontro das Mulheres Atingidas por Barragens no Norte de Minas Gerais. A atividade aconteceu no Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município de Salinas. No encontro estavam presentes 13 mulheres atingidas por barragem do Norte de Minas (Barragem de Berizal, Projeto Gorutuba- CODEVASF) e Vale do Jequitinhonha (UHE Irapé- CEMIG), além de sindicalistas rurais integrantes da comissão de mulheres do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Salinas.

Aconteceu neste fim de semana o 2º Encontro das Mulheres Atingidas por Barragens no Xingu. A atividade reuniu mulheres militantes do MAB em Altamira, algumas já realocadas para o “reassentamento” urbano e outras que ainda vivem nas áreas alagadiças.

Na atividade, as mulheres discutiram as principais violações de direitos que a construção da hidrelétrica de Belo Monte tem perpetrado contra as mulheres. A perda dos laços comunitários, a prostituição e a violência foram temas bastante discutidos.

Retratar a violação dos direitos humanos das atingidas por barragens através de recortes de tecidos é a técnica adotada pelas mulheres organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Dos dias 25 a 28 de agosto um grupo de mulheres ameaçadas e atingidas por barragens de todo Brasil participaram da oficina nacional das “Arpilleras”. O encontro foi realizado na Escola Nacional Florestan Fernandes, em Guararema, estado de São Paulo.

Originado na resistência à ditadura Pinochet, movimento cultural que procura empoderar mulheres por meio da arte manual espalha-se pelo mundo e chega ao Brasil

O modelo energético brasileiro e a violação dos direitos das mulheres

1. Energia para quê e para quem?

O Brasil faz grande propaganda de sua forma de produção de energia. Com 80% de sua matriz proveniente de energia hidrelétrica, nosso país se gaba de ter um sistema “limpo”, barato e eficiente, já que esse tipo de geração garante até 92% de aproveitamento, contra uma média de 30% dos combustíveis fósseis, que dominam a matriz mundial, não são renováveis e são poluentes.

Soniamara Maranho fala da importância da luta das mulheres camponesas na Via Campesina no Primeiro Encontro Nacional do MMC em Brasília.