Petróleo

Cai o véu do pensamento, quem pisa o senado não é mais o mesmo, o palco está montado, Brasília é toda um teatro, o nome da peça em cartaz naquela terça-feira à tarde é Pre-sal, alguns trilhões encomendados ao Serra, ‘deus seja louvado!’, um deus criado à imagem e semelhança do Capital, o prato principal da Casa, a qual brinca de fazer democracia, que ameaça a plateia da galeria por ‘mau’ comportamento, que define a ordem do dia, que ajeita os pontos da pauta ao sabor das raposas, que posa sorridente no momento da foto, que se junta aos outros filhos da casa da Mãe Joana, e são servidos de t

Especialista em petróleo alerta que, se aprovado, o projeto poderá tirar até R$ 50 bilhões da saúde e educação, além de colocar o país sob risco ambiental


por Najla Passos, da Carta Maior

Federação da categoria vê 'momento mais crítico' desde a greve de 1995, que será lembrada durante as atividades. Evento vai até domingo, em Guararema (SP)

 

Pela Rede Brasil Atual

Os movimentos sociais e sindicais estiveram presentes na sessão do Senado Federal desta terça-feira (30) para pressionar os senadores a rejeitarem o projeto de lei que retira a obrigatoriedade de participação mínima de 30% da Petrobrás na exploração do pré-sal, de autoria de José Serra (PSDB). A pressão popular contribuiu para que a votação, prevista para sessão de ontem, fosse adiada.

O tamanho da crise que estamos vivendo é proporcional à briga que compramos para manter o pré-sal sob exploração da Petrobras e tendo seus recursos revertidos ao Fundo Soberano brasileiro.


Por Cibele Vieira*

Em nota, movimentos populares afirmam que o projeto do senador José Serra (PSDB-SP), que vai à plenário nesta terça (30), pretende modificar o sistema de partilha do pré-sal para priorizar empresas estrangeiras

Principais guerras da atualidade acontecem em países dotados de valiosas reservas de petróleo

Por Igor Fuser (*)

O verdadeiro interesse que se esconde por trás da atual campanha contra a Petrobrás pode ser resumido em uma palavra: petróleo. No mundo inteiro, a política externa dos Estados Unidos tem como principal foco o controle político dos países dotados de valiosas reservas de energia, em especial o petróleo. Você duvida? Olhe, então, para os principais conflitos da atualidade.

O economista e professor da Unicamp teme desemprego e retrocesso econômico com ataques à Petrobrás

Por Claudia Rocha, de São Paulo

Brasil de Fato: A situação da Petrobrás tem tido bastante destaque no noticiário, mas quais são as consequências diretas em relação aos empregos que a empresa sustenta?