Plataforma Operária e Camponesa para Energia

Neste dia 20 de março, Dia Nacional de Luta contra a Privatização da Água, do Saneamento e a PPP, mais de 500 militantes de movimentos sociais e sindicais fizeram uma mobilização em Brasília para protestar contra a privatização dos serviços de água e saneamento, através da chamada Parceria Público-Privada (PPP).

“Mudar o caráter elitista da universidade é um moinho de vento a ser enfrentado. O acesso mais justo e universal à universidade e à democratização do ensino são passos importantes para a mudança da sociedade. A presença dos movimentos na universidade é motivo de orgulho para a UFRJ”, afirmou o pró-reitor de Extensão da UFRJ, Pablo Benetti. As aulas acontecem no prédio da reitoria da UFRJ, na cidade universitária.

De 05 a 07 de dezembro acontece, em Florianópolis, o 2º Congresso dos Trabalhadores da Eletrosul. O Congresso é promovido pela representação dos empregados no Conselho de Administração e com o apoio das entidades sindicais.

Na tarde de ontem (20), militantes do MAB e demais organizações da Plataforma Operária e Camponesa para a Energia participaram de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para debater a renovação das concessões das barragens da Cemig.

Nesta terça-feira (13 de novembro), as entidades ligadas aos trabalhadores do setor elétrico e movimentos sociais promovem panfletagens em frente às estatais do setor para defender ajustes na Medida Provisória 579.

No último 15 e 16 de outubro, lideranças de organizações sociais e sindicais que integram a Plataforma Operária e Camponesa para a Energia debateram a renovação das concessões de energia. Leia o Manifesto.

Brasília, 16 de outubro de 2012.

Reunidos em Brasília, DF, representantes da Plataforma Operária e Camponesa para energia, analisando as medidas adotadas pelo Governo Federal sobre as concessões de energia elétrica nos manifestamos nos seguintes termos:

Renovação das concessões do setor elétrico mobiliza trabalhadores em todo país

Plataforma Operária e Camponesa para a Energia prepara ações para garantir os direitos dos consumidores, trabalhadores, empresas estatais e atingidos por barragens que foram afetados pelas medidas de renovação das concessões do setor elétrico. Os debates aconteceram nesta segunda e terça-feira em uma plenária nacional, em Brasília.

 

Trabalhadores da Rede Celpa entram em greve por tempo indeterminado partir de hoje no Pará. No total, os 2.100 profissionais da empresa devem aderir à paralisação. O Sindicato dos Urbanitários no Pará garante que a população não será penalizada.