Plataforma Operária e Camponesa para Energia

FUP e movimentos sociais protestam contra leilões do petróleo, no Rio de JaneiroNesta quarta-feira (03), data que a Petrobrás completa 59 anos de existência, cerca de 800 pessoas, entre petroleiros, integrantes da Via Campesina, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), da Plataforma Operária e Camponesa de energia, das centrais sindicais, entre outros movimentos sociais, ocuparam a calçada da Agência Nacional de Petróleo (ANP), no Rio de Janeiro, em protesto contra a retomada das rodadas de licitação de blocos petrolíferos, anunciada pelo governo nas últimas semanas e, para pressionar a Petrobrás a apresentar uma nova proposta salarial à categoria.

Terceirizações que levam à morte

Homem trabalha em rede elétrica, setor mais sujeito à  terceirização e mortes - Foto: AENotíciasCenário de precarização no setor elétrico é acompanhado pela elevação do número de óbitos.

Um dos ramos do mundo do trabalho mais sujeitos à terceirização e mortes é o elétrico. Em grande parte, isso se deve ao processo de demissões e privatizações pelo qual o setor passou desde o final da década de 1990.

 

 

 

A MP 579, conhecida como a medida provisória da tarifa de energia, representou uma boa notícia para os brasileiros, pois vai resultar na queda da tarifa da energia elétrica, além de marcar uma opção do governo em não realizar novas privatizações no setor. Porém, o texto original da MP, ao não abordar de forma incisiva determinados temas, dá espaço para o risco de problemas futuros.

Pacote das concessões ignora o fim das terceirizações, a garantia de investimentos nas empresas estatais e maior redução da tarifa para consumidores residenciais

Com o vencimento de parte das concessões de energia de elétrica a partir de 2015, entidades defendem renovação dos contratos e propõe alterações no sistema para reduzir a tarifa

O governo deve apresentar a representantes das indústrias sua proposta para a renovação das concessões do setor elétrico. E da opinião dos trabalhadores, se esqueceu?

Neste momento, onde se discute no país a opção pela renovação ou licitação das concessões é necessário evitar qualquer risco de privatização e estabelecer condições para que, a parcela de energia em disputa, beneficie os trabalhadores e o povo brasileiro, em especial os consumidores residenciais.

O número de vítimas de acidentes fatais entre terceirizados é cerca de três vezes maior que os ocorridos entre trabalhadores contratados. De cada 100 mil eletricitários terceirizados, 47,5 morreram durante o exercício da função.

Depois de 10 dias de uma greve histórica dos trabalhadores eletricitários de todo o país, na tarde de ontem (25/07), representantes do sistema Eletrobrás receberam o comando de greve da categoria para a 5ª rodada de negociações. Os eletricitários avaliam que houve ganhos reais na pauta de reivindicações, entre eles o reajuste de 1,5% retroativo a maio, além dos 5,1% referentes à inflação, e a concessão de melhorias para o vale alimentação.

Após mais de 20 anos sem realizar uma greve por tempo indeterminado, os trabalhadores eletricitários de todas as empresas do grupo Eletrobras – Furnas, Chesf, Eletronorte, Eletrosul e outras 10 empresas - paralisaram suas atividades desde segunda-feira, dia 16/07. A decisão pela greve foi tomada em assembleias realizadas em todo país.