Plebiscito Minas Gerais

A conta de luz é terceiro gasto mensal que mais pesa no bolso do consumidor em Minas Gerais. Este dado foi constatado a partir de pesquisa de opinião realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais. A energia elétrica perde apenas para água e alimentação, na lista dos serviços que mais pesam no orçamento da população.

População está participando em peso da votação do Plebiscito Popular, que acontece até o dia 27 de outubro em todo o Estado 

Começou neste sábado (19) a votação do Plebiscito Popular pela redução das tarifas de energia e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado na conta de luz em Minas Gerais. Ao todo serão mais de 300 cidades com comitês e urnas de votação para que a população participe da consulta popular. 

As mais de 100 organizações que constroem o plebiscito esperam recolher 1 milhão de votos e entregá-los ao governo do estado

A Arquidiocese de Mariana MG, que engloba 79 municípios e 148 paróquias, com cerca de 1 milhão e meio de habitantes, assumiu apoiar a realização do Plebiscito Popular pela redução da tarifa de energia elétrica e de ICMS, com meta de alcançar 100 mil votos em suas áreas.

Após o cumprimento da liminar de reintegração de posse e sem novas propostas de negociação, ex-funcionários da Cemig Serviços (Cemig S), extinta subsidiária da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), encerraram a manifestação que ocorria desde o dia 10 de setembro, na sede da empresa, localizada no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital mineira.

Após o seminário, os participantes seguiram em passeata até à sede da Cemig onde prestaram solidariedade aos trabalhadores acorrentados e realizaram uma votação simbólica pela redução da tarifa de energia e do ICMS em Minas.

do Portal Minas Livre

Em reunião no sábado, comunicadores e organizadores do Plebiscito Popular pela redução das tarifas de energia e ICMS da conta de luz em Minas Gerais debateram formas de ampliar a discussão no Estado