Porto Primavera

Na estimativa do Movimento, há por volta de 300 famílias atingidas pela barragem de Porto Primavera, construída pela Companhia Energética de São Paulo (CESP), a maioria sem indenização justa.