Samarco

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) cobrou nessa quinta-feira (21) uma política nacional que defina quem são os afetados por desastres, como o que ocorreu em Mariana (MG). 

Famílias em área de risco, na cidade de Barra Longa (MG), destruída pela lama da Samarco (Vale/BHP Billiton), querem a construção de suas casas em local seguro. Dona Eva, moradora do Morro Vermelho, que teve sua moradia comprometida pela lama, quer a casa construída em novo local, mas manter a relação de vizinhança.  Eva afirmou que no dia 19/01 uma engenheira da empresa esteve em sua casa e disse que ‘se tirar a lama, sua casa cai’. Disse, porém, que levaria isso pra avaliação interna da empresa. Ela não voltou.

Pergunta não faz mal, não é? Lutar também não! Nós vamos permitir que essa empresa, responsável por uma tragédia criminosa, defina o nosso futuro?

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) continua o trabalho de organizar as famílias que foram atingidas pela Samarco na cidade de Barra Longa. 

Mais de dois meses após a tragédia de Mariana, a mineradora Samarco - dona da barragem do Fundão, que se rompeu em novembro do ano passado - foi indiciada, juntamente com seu presidente, Ricardo Vesvoci

Na cidade de Barra Longa, além da limpeza e reparação dos estragos, os atingidos que ficaram desempregados querem receber logo a ajuda de custo para poderem tocar suas vidas. E a Samarco não define um prazo para que tenham este direito garantido

Os atingidos, que estão se organizando no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), fizeram vários pedidos de urgência para a reconstrução de parte do vilarejo, que fica nas margens do rio Gualaxo.

Perda da moradia, da privacidade, do trabalho, da comunidade e outras violações de direitos sofridas pelas mulheres atingidas pelo rompimento da barragem da Samarco (Vale/BHP-Billiton)

O maior temor do povo na cidade de Barra Longa é a possibilidade do rompimento da barragem de Germano, que poderá causar um prejuízo maior que o da barragem de Fundão. Sobre isso, os representantes da Samarco (Vale/BHP Billiton) não responderam nem sim e, muito menos, não

Devido à pressão dos atingidos pela barragem de rejeitos da Samarco (Vale/BHP Billiton), a mineradora se comprometeu a agilizar a mudança das famílias desabrigadas dos hotéis para casas alugadas pela empresa na cidade de Mariana (MG).  A mudança no ritmo das transferências foi anunciada durante reunião da comissão dos moradores das comunidades atingidas, na tarde de ontem (1º de dezembro).