Santo Antônio

Acontece nesta manhã (05/04), em Porto Velho (RO) um ato público em solidariedade aos trabalhadores e atingidos pelas usinas de Santo Antônio e Jirau. Cerca de 400 atingidos, camponeses e operários estarão concentrados na Praça Madeira-Mamoré desde as 10 horas da manhã (horário de Brasília) e seguirão em marcha pela Avenida 7 de Setembro, finalizando o ato na Rua Marechal Deodoro.

Hoje, 16 de novembro, será realizada mais uma assembléia entre os atingidos pela Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia. A assembléia acontecerá a partir das 10 horas da manhã, na Sede Social do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Rondônia (SINTERO), em Porto Velho. Estão sendo esperados entre 250 a 300 pessoas.

Ontem (28/6), uma comissão do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) se reuniu com as empresas donas da Hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia. A reunião foi fruto de um processo de organização e luta feita pelos atingidos por barragens, organizados no MAB, no último período.

Na última noite e na manhã de hoje (22/06), novamente os trabalhadores da usina de Santo Antônio estiveram mobilizados, protestando no canteiro de obras. Segundo um dos operários, os trabalhadores sofreram dura repressão da polícia e a empresa não deixou que os ônibus do turno da manhã entrassem no canteiro.

O Movimento dos Atingidos por Barragens vem através desta manifestar total apoio aos trabalhadores do canteiro de obras da usina hidrelétrica de Santo Antônio, que está sendo construída no Rio Madeira, em Rondônia.

Desde a manhã de hoje (16/06), cerca de 500 famílias atingidas pela barragem de Santo Antônio estão reunidas em uma assembleia na comunidade Joana D’arc, Linha 17, em Porto Velho. As famílias estão discutindo a proposta de reassentamento que exigem das empresas construtoras da barragem, entre elas a Odebrecht e Furnas. Senadores, deputados, representantes do governo federal e do consórcio construtor da obra estão confirmados para a assembleia.

As empresas transnacionais Santander (Espanha), Banif (Portugal) e GDF-Suez (França e Bélgica), integrantes dos consórcios que estão construindo as UHE’s Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira, foram denunciadas e condenadas pelo IV Tribunal Permanente dos Povos, realizado em Madrid de 13 a 17 de maio deste ano.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o Fórum Boliviano de Meio Ambiente e Desenvolvimento (FOBOMADE) e a organização Espanhola SETEM estarão denunciado as empresas GDF-SUEZ, integrante do Consórcio Energia Sustentável do Brasil (proprietário da Usina Hidrelétrica de JIRAU), o banco português Banif e o banco Espanhol Santander, respectivamente integrante e ex-integrante do Consórcio Santo Antônio Energia (proprietário da UHE Santo Antonio) de violar os Direitos Humanos durante o planejamento e início de

Como resultado da jornada do dia internacional de luta contra as Barragens, comemorado no 14 de março, uma comissão de 10 representantes do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) irá participar de uma audiência com o Consórcio Enersus (dono da UHE Jirau), hoje (17), às 18h30, em Porto Velho (RO).

Hoje (15), pela manhã, cerca de 300 atingidos pelas barragens de Samuel, Santo Antônio e Jirau, montaram um acampamento na comunidade de Mutum, ao lado da BR 364, em Rondônia. A atividade faz parte da Jornada do Dia internacional de luta contra as barragens, pela água, pelos rios e pela vida, comemorado no dia 14 de março.