Memória: Barragem de Candonga

No dia 03 de maio de 2004, uma verdadeira operação de guerra mobilizou mais de 200 policiais militares fortemente armados para expulsar 14 famílias que resistiam sair de São Sebastião do Soberbo, povoado que foi inundado pelo lago da usina hidrelétrica Risoleta Neves, conhecida como Candonga. As famílias esperavam que a Vale e a Novelis elevassem os valores das indenizações, que houvesse recomposição das terras perdidas e que aceitassem as reivindicações para que as novas casas construídas no reassentamento Novo Soberbo respeitassem as exigências dos moradores. A resposta do consórcio Candonga foi violenta. As famílias foram expulsas e a comunidade alagada sem que seus direitos fossem respeitados.