Depoimentos

“Estamos aqui na batalha porque nós somos pessoal prejudicado pela barragem de Belo Monte. Não é que a gente morava na área da água, é que a gente morava de aluguel. Onde nós morava, pagava 250 reais. Depois subiu pra 600 reais, que é o que eu tiro de salário, então não tive condição de pagar mais. Então teve esse loteamento e nós estamos aqui pra ver se ganhamos.”

Antonio Quirino, morador da ocupação urbana Novo Horizonte, em Brasil Novo

“A gente tem sofrido bastante com essa Norte Energia que chegou por aqui, porque antes o aluguel era baratinho, a gente comia, bebia - regrando, né - mas dava pra pagar o aluguel. Agora já não dá mais, por isso que nós estamos aqui pelejando hoje, porque a gente precisa ter uma casa, porque em Brasil novo não dá mais pra pagar aluguel - e pior é em Altamira.”

Maria José da Silva, moradora da ocupação urbana Novo Horizonte, em Brasil Novo

“Depois que a Norte Energia veio para cá, eles prometeram pra gente que ia ter tudo de bom e de melhor e não está sendo nada disso. Antes, eles diziam para que ia ter três modelos de casa para o reassentamento. Agora, eles falam só em um e ainda é casa pré-moldada. Não está tendo nada de melhoria, a cidade está uma bagunça e eles não estão cumprindo com nossos direitos. Até hoje, ninguém falou que ano, que dia e que hora a gente vai sair, só falaram que vão colocar a gente em outra área e não dizem nem onde é, a quantos quilômetros de distância, nada.”

Nalda Oliveira, 43 anos, moradora do bairro Boa Esperança (Altamira) e atingida pela barragem de Belo Monte.