Atingidos ocupam sede da CHESF, em Recife

Atingidos ocupam estatal e reivindicam a criação de política nacional direitos e do Fundo Social para pagamento da dívida 


O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) ocupa, desde as 05 horas desta quinta-feira (27), o escritório central da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (CHESF), em Recife (PE). Mais de 500 atingidos vindos dos estados do Ceará, Piauí, Maranhão, Bahia, Paraíba e Pernambuco estão montando acampamento na estatal, com apoio de outras organizações.

O protesto cobra do Estado brasileiro a institucionalização da Política Nacional de Direitos das Populações Atingidas por Barragens (PNAB) e a criação de um Fundo Social, com recursos de royalties e compensação financeira do setor elétrico, para pagar a dívida que o estado tem com os atingidos por barragens.

Fará parte das atividades um seminário com o tema: “A visão popular da energia e petróleo no contexto atual” que debaterá a situação e perspectiva da cadeia industrial do petróleo e seus trabalhadores; O Panorama geral da questão energética: o golpe nas tarifas de energia elétrica e a situação dos atingidos por barragens.

A pauta reivindicatória das famílias atingidas é composta por pontos nacionais e regionais que desde 2012 são cobrados pela população, como: terra para reassentamentos e para produção de alimentos; abastecimento de água para as comunidades atingidas; eletrificação das moradias com o programa “Luz Para Todos”; apoio na capacitação em produção agroecológica para famílias atingidas pelas barragens.