Atingidos pela Samarco ocupam linha da Vale no Espírito Santo

Atividades acontecem no Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pelas Águas e pela Vida

Foto: Thais Gobbo

Desde o início da manhã desta terça-feira (14), atingidos pela Samarco no Espírito Santo, organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), ocupam a linha de trem da mineradora Vale, em Colatina.

Pescadores, meeiros e agricultores das cidades de Linhares, Aracruz, São Mateus, Colatina e Baixo Guandu estão nos trilhos para denunciar os desmandos da Vale, por meio da Fundação Renova, na vida dos atingidos.

Os atingidos pedem o reconhecimento como atingidas as comunidades de Foz Norte e Foz Sul, que contém milhares de famílias e a assessoria técnica em toda a Bacia do Rio Doce indicada pelos atingidos.

O crime cometido no dia 5 de novembro de 2015, em Mariana (MG), pelas mineradoras BHP Billiton, Samarco e Vale, ocasionou a morte de 19 pessoas e provocou um aborto, além de contaminar mais de 600 quilômetros de rios e parte do litoral brasileiro.