Atingidos pela Samarco protestam na 12ª Vara Federal, em BH

Famílias atingidas em toda bacia do rio Doce se manifestam contra os acordos e decisões que ignoram a participação dos atingidos

Fotos: Mídia Ninja

Como parte da Jornada do 14 de março, “Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pelas Águas e pela Vida”, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realiza desde o início da tarde desta terça-feira uma manifestação na 12ª Vara Federal, em Belo Horizonte (MG).

Famílias de toda a bacia do rio doce atingidas pelo maior crime ambiental da história do Brasil reivindicam participação nos debates e acordos que resultam em decisões judiciais importantes que tem impacto direto em suas vidas.

O MAB requisita uma audiência com o Doutor Mário de Paula Franco Junior, juiz substituto da 12ª Vara Federal, na qual serão entregues dois documentos. Um texto tece comentários críticos ao acordo preliminar apresentado pelo Ministério Público Federal (MPF) que anula a Ação Civil Pública que valora em mais de R$150 bilhões os danos causados na bacia e que extingue a homologação do acordo que criou a Fundação Renova.

Outro documento aponta críticas à presença intensa da Samarco, da Fundação e de suas consultorias em toda a bacia que atuam amedrontando, desinformando e combatendo toda e qualquer iniciativa que organiza e fomente a autonomia das famílias.

“Estamos aqui porque não aguentamos mais sermos ignorados em nossa opinião, vendo as empresas criminosas tendo plena liberdade de fazer o que quiserem e colocando terceirizadas para atuarem em nossas comunidades desorganizando e atacando nossa autonomia. E a justiça precisa nos ouvir.”, reivindica Antônio Marcos, atingido na região de Cachoeira Escura, município de Belo Oriente (ES).

O juiz aceitou se reunir com os atingidos as 17 horas.