Camponeses e Camponesas do Brasil estão com Chávez

Leia a moção de apoio à reeleição do presidente venezuelano, Hugo Chávez, aprovada durante o Encontro Unitário dos Trabalhadores, Trabalhadoras e Povos do Campo, das Águas e das Florestas:

Os sete mil participantes do Encontro Nacional dos Trabalhadores, Trabalhadoras e Povos do Campo, das Águas e das Florestas vêm por meio deste manifestar o seu apoio à eleição de Hugo Chávez para a presidência da República Bolivariana da Venezuela.

As eleições presidenciais na Venezuela interessam a toda a América Latina. Elas representam o esforço dos povos latinoamericanos em promover transformações políticas que vão de encontro às políticas neoliberais e imperialistas implantadas na região. Chávez, eleito pela primeira vez em 1999, contribuiu para que a onda de mudanças também chegasse a outros países, onde o povo conseguiu eleger presidentes de caráter progressistas dentro de regimes democráticos.

Diante de novas conjunturas políticas, os movimentos sociais do campo e da cidade conseguiram barrar projetos de subordinação de nosso povo, tais como a Aliança para o Livre Comércio das Américas (ALCA), ditada pelo imperialismo estadunidense. A experiência venezuelana trouxe a inspiração para caminhos próprios, pautados na soberania dos povos latinos e na democracia baseada na participação e na cidadania construídas através da mobilização popular e para a consolidação de direitos para os trabalhadores, as trabalhadoras e povos originários.

No entanto, a elite conservadora, aliada com os interesses do capital estadunidense, tenta barrar as transformações em curso. Nos últimos anos, vivenciamos dois golpes contra as democracias de países irmãos, como Honduras e Paraguai. Acompanhamos ainda as tentativas de golpe na Venezuela e no Equador. Diante da reação da direita em diversos países, inclusive no Brasil, movimentos sociais, intelectuais, artistas, comunicadores, partidos políticos lançaram a Campanha Brasil está com Chávez, com o objetivo de defender a eleição de Hugo Chávez como representação do avanço desta construção que busca o projeto político de aperfeiçoamento da integração regional sob bases populares e progressistas.

Ao mesmo tempo, nós, trabalhadores, trabalhadoras e povos do campo, das águas e das florestas, temos o entendimento de que a sociedade latinoamericana precisa garantir que as transformações em curso tenham continuidade.

Somamo-nos, desde já, à Campanha Brasil está com Chávez. Precisamos continuar a eleger presidentes progressistas que tenham no horizonte a construção de políticas estruturantes para a emancipação e soberania dos povos.