Em BH, atingidos e parceiros lançam Encontro Nacional do MAB

MAB reafirmou que unidade entre a classe trabalhadora dará o tom do Encontro

Foi com muita animação e espírito de luta que cerca de 350 famílias de Minas Gerais e do Espírito Santo, lançaram o 8º Encontro Nacional do MAB, na noite desta terça-feira (15), no hall da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Na solenidade, estiveram presentes entidades e organizações parceiras na luta da classe trabalhadora.

O Encontro acontecerá entre os dias 1º e 5 de outubro de 2017 na cidade do Rio de Janeiro e terá como tema Água e energia com soberania, distribuição da riqueza e controle popular e reunirá cerca de 5 mil atingidos e atingidas de todo o Brasil, além de parceiros internacionais de 25 países.

“Ressaltamos a unidade entre movimentos e sindicatos neste momento para construir o projeto popular para a classe trabalhadora. Com isso, trazemos o lema do encontro que é “Água e Energia, com Soberania, Distribuição da Riqueza e Controle Popular” onde reafirmamos a autonomia dos trabalhadores do campo e da cidade sobre a nação”, disse Aline Ruas, da coordenação nacional do MAB.

A presidenta da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de MG, Beatriz Cerqueira, disse que a fé na luta fará com que o Encontro Nacional do MAB aconteça. “É isso que nos faz não sermos iguais àqueles que transformam água e energia em mercadorias. É o que não nos faz tornarmos iguais aos criminosos da Vale, Samarco e BHP. Somos capazes de sentir a luta de cada um e coletivamente lutarmos pelo projeto popular”, afirmou Beatriz.

A participação das mulheres no encontro nacional do MAB será massiva. Segundo levantamento feito nos 18 estados onde o movimento atua, mais de 50% do público presente será de mulheres. “Muita das vezes são as mulheres que estão à frente da luta. È essa força, a animação e a rebeldia das mulheres que mostra que lugar da mulher é lutando pelos seus direitos”, disse Bernadete Monteiro, da Marcha Mundial das Mulheres.

Estiveram presentes no evento representantes do Levante Popular da Juventude, Marcha Mundial das Mulheres, Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do SUS de Belo Horizonte, Sindicato dos Eletricitários – SindiEletro, Sindicato dos Trabalhadores em Educação –SindUte, Central Única dos Trabalhadores, Fórum Interreligioso e o deputado estadual Rogério Correa.