Em MG, atingidos participam de curso de Sistemas Fotovoltaicos

Como desdobramentos de mesa negociação com a Cemig, atingidos conquistam painéis fotovoltaicos, o que economiza energia das famílias atingidas.

Atingidos por barragens de Minas Gerais participaram do curso de Manutenção de Sistemas Fotovoltaicos, ofertado pela CEMIG. A preparação para operação das painéis  e sistemas de motobombas aconteceu entre os dias 19 e 23 de junho, na UniverCemig, em Sete Lagoas, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Após a jornada de lutas do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) 14 de Março- pelas águas pelos rios e pela vida, os atingidos organizados começaram com a Cemig uma mesa de negociação e de proposta de projetos entre a empresa e o MAB. Entre as pautas do MAB em MG apresentadas ao Governador Fernando Pimentel e para companhia energética é que a população paga a conta de luz mais cara do Brasil.

Como desdobramento da mesa de negociação houve a conquista de um plano piloto de um projeto da Cemig para os atingidos envolvendo painéis fotovoltaicos, utilizadas para o aquecimento de água do chuveiro, o que economiza cerca de 30% da tarifa de energia.  Além do início do projeto de instalação de motobombas solares para bombeamento de água e irrigação nas hortas PAIS, também economizando energia elétrica.

Dessa forma a Cemig propôs de cerca de dez atingidos organizados nas regiões do Vale do Jequitinhonha, Zona da Mata, Vale do Aço, Leste e Norte de Minas, fazerem uma formação do curso de manutenção de placas fotovoltaicas. Dessa forma essas militantes assumem o compromisso de multiplicar a manutenção e assistência nas regiões.

“Foi muito interessante estar participando deste processo de aprendizado. É um sistema de fácil entendimento e que não só os homens podem manusear, mas as mulheres também. A partir desse Sistema Fotovoltaica muitas famílias  serão beneficiadas e fazendo com que  melhore a qualidade de  vida das  populações atingidas”, relata a atingida pela barragem de Fundão, que pertence a Samarco, Vale e BHPBilliton, no Vale do Aço.

“Entendemos que o conhecimento é um bem público e precisa ser disseminado e apropriado para o povo. Ou seja, o atingido irá dominar as técnicas de como se dá a energia solar. Estamos iniciando este processo e fazendo o levantamento de mais placas para o estado de Minas Gerais,” afirma a coordenação estadual do MAB.