Em SP, Movimentos Populares e Sociais que integram a Frente Brasil Popular em panfletagem convocam população para a greve geral

A Frente Brasil Popular de São Paulo começou a colocar o bloco na rua para o arrastão cidadão pela greve geral, que acontecerá em todo país nesta sexta- feria, dia 28 de abril.

Nesta quarta- feira (26), logo cedinho a partir das 6h, a moçada que integra movimentos populares e sociais panfletaram o jornal da Frente Brasil Popular na entrada da estação do Metrô Anhangabaú, no centro de São Paulo.

Lá,  os militantes levaram  à população  informação e alerta sobre os ataques do governo golpista Michel Temer  contra os direitos dos trabalhadores nas Reformas Trabalhistas e da Previdência.

As duas Reformas estão em vias de serem votadas pelos deputados federais. Os integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens, Levante Popular da Juventude, Consulta Popular, Movimento dos Pequenos Agricultores e Central dos Movimentos Populares sacudiram as bandeiras de lutas dos movimentos e, no corpo a corpo, debateram com a população sobre a importância da greve geral como meio de pressionar  o governo Temer e o Congresso Nacional contra as propostas  pautadas.

Muitas pessoas pararam para ouvir as explicações e levaram o jornal. A diarista Elaine Oliveira Silva, moradora de Francisco Morato, recebeu com simpatia o material da frente e disse que aderiu à mobilização e até gravou um vídeo chamando a população. “Temos que fazer greve mesmo, e parar tudo, dia 28 é greve geral contra este governo", declarou Elaine.  

Nesses dias que antecedem a paralisação nacional, a Frente Brasil Popular está articulando e promovendo várias atividades e ações para potencializar a greve geral.

Amanhã (27), os movimentos populares e sociais seguem com atividades e abordagem aos cidadãos, no esquenta ao clima da paralisação total, contra as Reformas da Previdência, Trabalhista e a Terceirização.