Famílias ocupam área para lutar por moradia em Itaituba (PA)

Cerca de 450 famílias sem moradia ocuparam um terreno abandonado na área conhecida como Lagoa do Irajá, em Itaituba (PA). As famílias estão sendo organizadas pelo movimento União Sem Teto junto com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

A área estava servindo de depósito de lixo e também para fins ilícitos. Resto mortais de animais e até de pessoas já foram encontrados na localidade, segundo informações de moradores próximos.

“A ocupação é motivada pela especulação imobiliária, que cresceu de forma desordenada no município devido ao anúncio e a chegada de grandes obras como: portos do agronegócio, anúncio da barragem de São Luis do Tapajós, que compõe o complexo de cinco grandes barragens (Complexo Tapajós), ferrovias, hidrovias, mineração e a pavimentação das rodovias  Br 230 (Transamazônica) e Br 163 (Santarém-Cuibá)”, afirma Frede Vieira, da coordenação do MAB na região.

Nessa quarta-feira (25), as famílias foram em caminhada da prefeitura até o Ministério Público Estadual para protocolar um documento de reinvindicação de destinação da área para moradia. Também denunciaram ao Ministério Público o abuso da polícia militar contra os ocupantes.

Para o MAB, a ocupação é um ato legitimo e precisa ser olhada com atenção pelos órgãos responsáveis pelo setor de habitação do município.

“A situação na ocupação não é simples, pois no local já apareceram vários supostos ‘donos’ ameaçando os ocupantes da área, inclusive empresários conhecidos na região apresentam documentação que ninguém sabe se são validas ou se são frias”, afirmou Frede.

Os ocupantes estão se dividindo em grupos de base para facilitar a organização, construíram um barracão onde fazem as refeições e batizaram a ocupação de “Nova Conquista”.