France Amerique Latine apóia a luta dos atingidos

Entidade francesa visitou três regiões atingidas por barragens no Brasil e declarou apoio irrestrito à luta dos atingidos no rio Madeira, em Rondônia


A associação francesa France Amerique Latine (FAL), entidade de apoio à América Latina e Caribe, integrante da CNAJEP (Comissão para as relações do nacional e internacional de associações de juventude e educação popular), o CAL (coletivo para a América Latina e o Caribe), ACME (Associação para o contrato de água do mundo) e o coletivo Haiti de France, estiveram durante o mês de março no Brasil, conhecendo a organização e a luta dos atingidos por barragens em diversas regiões do Brasil, entre elas Rio de Janeiro, São Paulo e Rondônia.

Segundo Monique Piot Murga, da FAL, “Água e energia, com soberania, distribuição da riqueza e controle popular, são conselhos que valem para todos os povos. Nós, na França, também temos que enfrentar uma política neoliberal no setor da energia, e neste momento estamos lutando contra a privatização da água, os cortes às famílias que não podem pagar”, explica Murga.

A ativista também citou o Encontro Nacional do MAB, que será realizado em outubro do Rio de Janeiro, e pretende reunir 5 mil atingidos de todas as regiões do país. “Estamos trazendo nossa solidariedade ao 8° Encontro Nacional do MAB, temos os mesmos inimigos, as multinacionais, e devemos lutar juntos, por este motivo viremos em uma delegação para o encontro”.

Monique e Françoise Chambeu, que estiveram em Rondônia, participaram da jornada de lutas dos atingidos na capital do estado, conheceram a região atingida pela hidrelétrica de Jirau, que tem como dona a Engie (Tractbel), da França, e conheceram a família de Nicinha, militante do MAB assassinada, um dos principais motivos que as trouxeram ao estado.

Em sua última assembléia realizada em Paris esta semana, decidiram pelo apoio irrestrito à luta dos atingidos no rio Madeira, a denunciar na França em conjunto com o MAB à Engie (Tractebel), dona de Jirau, que viola sistematicamente o direito dos atingidos no rio Madeira.