MAB conquista 90 cisternas na Paraíba

Famílias de três municípios atingidos pela barragem de Acauã serão beneficiadas com 90 cisternas de placas para acumulação da água da chuva


Famílias organizadas no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) na Paraíba conquistaram 90 cisternas de placas para acumulação da água da chuva que cai no telhado das casas. Cada cisterna tem capacidade de acumular 16 mil litros de água, quantidade suficiente para suprir as necessidades de 5 pessoas durante um ano. A construção e execução das cisternas serão feitas pelo Centro de Ação Cultural (Centrac).

As famílias são atingidas pela barragem de Acauã, inaugurada em 2002 com o objetivo de suprir a demanda de água de Campina Grande, segunda maior cidade do estado. Atualmente, Acauã se encontra com 3% de sua capacidade, que é de 253 milhões de metros cúbicos.

De acordo com Osvaldo Bernardo, a barragem de Acauã não atendeu aos interesses dos moradores da região. “Se a barragem trouxesse progresso para a região não haveria falta de água. Das seis comunidades atingidas, apenas duas conquistaram adutoras. Apesar disso, temos que comemorar essa conquista das cisternas que é fruto de muita luta”, afirma.

As famílias beneficiadas vivem nas comunidades de Riachão e Pedro Velho, no município de Aroeiras, nas comunidades de Água Paba e Costa, no município de Natuba, e em Melancia, no município de Itatuba.

Os recursos para construir as cisternas foram cedidos pela Secretaria de Desenvolvimento Humano (SEDH) e pela Secretaria do Estado do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Ciência e Tecnologia (SEMARHCT) da Paraíba, com a colaboração do governador Ricardo Coutinho, que se reuniu em audiência com integrantes do MAB para tratar do tema em novembro de 2016.

Também contribuíram para a conquista o Ministério Público Federal, Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão da Paraíba (PRDCPB) e Defensoria Regional dos Direitos Humanos da Paraíba.