MAB discute pauta dos atingidos com governo e estatais do setor elétrico

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) participou no último dia 16 de uma reunião com os diretores das estatais do setor elétrico, Eletrobras, Chesf, Furnas, Eletrosul e Eletronorte, coordenada pelo ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, em Brasília.  A reunião é um desdobramento da Jornada de Lutas do MAB, realizada em março e do acordo firmado como governo federal após a mobilização, que reuniu milhares de atingidos em todo o país..

Na reunião, o MAB reafirmou a necessidade da formulação de uma política de tratamento dos direitos dos atingidos e da criação de um fundo que destine recursos para atender a essa política. Além disso, o MAB falou da necessidade de criar programas de desenvolvimento e recuperação das comunidades, para pagar a dívida social que o estado brasileiro tem com os atingidos por barragens. O Movimento também solicitou das estatais medidas para atender a demandas emergenciais da pauta dos atingidos.

Os diretores das estatais disseram ser parceiros na construção da política de tratamento dos atingidos e se comprometeram a viabilizar programas de formação e capacitação para as populações atingidas, via sistema Eletrobras. Walter Cardeal, diretor de engenharia da estatal, afirmou na reunião que o Estado, as estatais e empresas do setor elétrico devem destinar mais recursos para as questões sociais dos atingidos.

Para o MAB, a reunião foi positiva. “A reunião apontou que podemos avançar na solução dos problemas vividos pelos atingidos, como também no debate e formulação de política energética brasileira", afirmou Joceli Andrioli, do MAB.

Na reunião também ficou acordado que nos próximos dias deverão ser marcadas reuniões para discutir as pautas regionais, além de continuar o debate da necessidade da renovação das concessões do setor elétrico brasileiro. 

No final da reunião, o ministro Gilberto Carvalho reafirmou a necessidade de continuar dando passos para avançar na concretização dos pontos do acordo do MAB com o governo. Para isso, ficou acertado que o grupo presente na reunião (estatais do setor elétrico, governo e MAB) será um grupo permanente de acompanhamento e solução da pauta dos atingidos.