MAB expõe Arpilleras Amazônicas em Itaituba

O MAB expôs as arpilleras feitas pelas mulheres da Amazônia na barraca da Santa, na orla do cais, em Itaituba, nesse domingo (13 de março). É a terceira exposição do acervo na região do Tapajós.

Foram expostas 9 arpilleras construídas coletivamente pelas mulheres do MAB no Tapajós, Xingu e Araguaia-Tocantins, no Estado do Pará. Parte delas foi feita nas oficinas do projeto apoiado pela Christian Aid e União Europeia para fortalecimento da organização das mulheres do Tapajós.

As arpilleras já foram expostas em Santarém em fevereiro deste ano e também em outubro de 2015 na Faculdade do Tapajós

Exposição Arpilleras Amazônicas
(Clique sobre a foto para ver mais)

O que é arpillera

“Arpillera” é uma técnica chilena de costura manual sobre tela de juta que as mulheres utilizaram para retratar cenas de violências praticadas pela ditadura de Augusto Pinochet contra as famílias. É com esse sentido político que as mulheres do MAB resgatam a técnica para retratar e denunciar as violações ocorridas no processo de construção de barragens no Brasil.

Com a compreensão de que as mulheres são as que mais sofrem com a construção de barragens, o MAB realizou mais de 100 encontros em todo o Brasil, que envolveu 900 mulheres atingidas por barragens na construção de arpilleras coletivas. Parte dessa rica produção está em exposição no Memorial da América Latina, em São Paulo, entre os dias 25 de setembro e 25 de outubro de 2015.