MAB ocupa sede da CEMIG em Belo Horizonte

O Movimento dos Atingidos por Barragens em Minas Gerais inicia a jornada do Dia Internacional de Luta contra as Barragens, pelos Rios, pela Água e pela Vida. Cerca de 300 atingidos ocuparam na manhã desta segunda-feira (13) a sede da Companhia Elétrica de Minas Gerais – CEMIG, em Belo Horizonte. Os atingidos estão no prédio para pressionar o Governo de Minas Gerais a atender a pauta da população que sofre com a construção dos grandes usinas hidroelétricas.

A CEMIG é o símbolo do sistema energético de Minas Gerais e está inteiramente envolvida com a pauta dos atingidos. Entre as reivindicações estão à situação dos atingidos pela barragem de Irapé, no Vale do Jequitinhonha. Após a inauguração da UHE da estatal, em 2006, a população que vive abaixo da barragem sofre com água contaminada, pesca comprometida, extinção de peixes, agricultura sem produção.

Outra barragem da CEMIG é a UHE de Aimorés, no leste do Estado. Desde sua inauguração, também em 2006, existem pendências com a população atingida. “A cidade de Itueta foi totalmente alagada e reconstruída sem a autonomia e participação dos atingidos nas residências e local onde viverão pelo resto de suas vidas. Hoje, o que ficou para os atingidos foi a estrutura de uma cidade fantasma e sem identidade regional”, afirma Letícia Oliveira, da Coordenação Estadual do MAB. 

Atingidos pela barragem de Fundão, que pertencem a Samarco Mineração S/A, Vale e BHP Billiton, de toda a bacia do Rio Doce estarão denunciando o quanto o Governo de Minas Gerais é refém das mineradoras. Ao assinar acordos com as empresas em a participação integral dos atingidos, o Governo tem se mostrado cúmplice das mineradoras no estado.

“Hoje viemos dar nosso recado para o Governo de Minas Gerais, que até hoje não atendeu a pauta dos atingidos por barragens. Incluímos também a Assembleia Legislativa, pois anteprojeto de lei que institui a Política Estadual dos atingidos por barragens e outros empreendimentos (Peabe), foi o único do executivo a não ser aprovado pela casa. Precisamos saber quais os interesses que envolvem a não garantia dos direitos dos atingidos por barragens no Estado”, afirmou Thiago Alves, da Coordenação Estadual do MAB. 

O Movimento dos Atingidos por Barragens celebra no dia 14 de março o Dia Internacional de Luta Contra as Barragens. Nesta data acontecerão diversas manifestações em todo o Brasil, denunciando o desrespeito e o descaso sofrido pelos atingidos.