MAB participa de debate contra as privatizações na UFRRJ

Brigada de Agitação e Propaganda foi à Seropédica dialogar com estudantes sobre a necessidade de organizar os trabalhadores e promover a luta pela soberania nacional.

Como parte da preparação para o 8º Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), os estudantes do curso de Ciências Sociais, Agronomia, Geologia, entre outros da Universidade Federal do Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) promoveram o debate "Água e energia no Brasil: contra a privatização, a resistência popular!”.

Contribuíram na atividade a Profa. Flávia Vieira Braga, do curso de Ciências Sociais da UFRRJ, o Prof. Edson Farias Mello, do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Cássio Pires, estudante de geologia e militante do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM).

Os professores contribuíram discutindo sobre a importância da atuação do Estado na efetivação de políticas públicas que garantem regulação pública, desenvolvimento regional e direitos sociais bem como colocaram o histórico da luta dos atingidos no Brasil que, pela organização popular, conquistaram do Estado reconhecimento e avanço nos direitos mostrando como a privatização pode dificultar estas conquistas.

Cássio fez um relato indignado sobre a postura de professores que atuam na contramão de uma educação a serviço dos trabalhadores, além de narrar suas experiências com o movimento social na mineração que o ensinou a não mais dormir sossegado sem se comprometer com as lutas da classe.

Thiago Alves, militante do MAB e integrante da Brigada de Agitação e Propaganda que atua no Rio de Janeiro, apresentou dados sobre a falência do capitalismo, como ele se confirma como uma máquina de gerar guerras e refugiados, fome, desperdício de alimentos e falta de acesso a água em escala global, entre outras mazelas. Contextualizou as razões da privatização das empresas públicas, especialmente da Eletrobrás e o que está em jogo atualmente.

“O mercado internacional usa a quadrilha de Temer para alcançar seus objetivos que é tomar nossas riquezas para gerar fortunas extraordinárias. Diariamente, a humanidade gasta cerca de 430 milhões de megawatts de energia. Fazendo uma conta rápida, multiplicando por uma tarifa média de 100 reais, podemos chegar a cifra de mais de 40 bilhões de reais, quase 15 bilhões de dólares diários, em uma conta ainda inexata. Comprar a Eletrobrás é disputar uma boa fatia desta geração global. É isto que os capitalistas querem e quem vai pagar a conta somos nós”, denunciou Thiago.

Todos foram convidados para participarem do Encontro Nacional do MAB que vai debater “Água e Energia, com Soberania, Distribuição da Riqueza e Controle Popular”, um exercício da classe para pensar caminhos estratégicos na construção de saídas históricas para esta crise imposta pelos capitalistas.

Também foi reforçada a necessidade de fortalecer nossos instrumentos organizativos, promover a unidade e fazer as lutas massas, por isto que o dia 3 de outubro, aniversário da Petrobras, será o Dia Nacional de Lutas pela Soberania e todos devem participar.

Nesta terça-feira (19), a Brigada de Agitação e Propaganda fará a distribuição do Jornal Brasil de Fato Especial na Central do Brasil, uma das maiores estações de metrô da cidade, além de fazer intervenção na Feira Camponesa na UNIRIO e participar do “2° Seminário: Questão ambiental e resistências populares - questão agrária do Rio de Janeiro”, às 18:30h, no auditório do CEET.