MAB participa do 4º Seminário de Agroecologia do Alto Uruguai, no RS

Atingidos apresentaram experiência do Aquecedor Solar de Baixo Custo, implantada pelo movimento em cinco estados do país


Aproximadamente mil pessoas, entre agricultores e estudantes, compareceram no 4º Seminário de Agroecologia do Alto Uruguai, realizado nos últimos dias 23 e 24 de setembro, nas dependências da Escola Técnica Agrícola situada em Erechim, na região norte do Rio Grande do Sul.

Durante o evento, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), juntamente com professores e alunos do curso de agronomia da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), apresentou uma oficina sobre Energias Renováveis, com demonstração prática de um Aquecedor Solar de Baixo Custo (ASBC). O ASBC consiste em uma tecnologia alternativa e barata para aquecimento de água que pode ser utilizada em chuveiros, pias de cozinha e até na lavagem de equipamentos de ordenha, evitando assim custos de energia elétrica, gás ou lenha. Seu projeto básico necessita apenas de caixa de água, manta térmica, placas de PVC e canos de PVC.

Uma iniciativa do MAB em 2011, com apoio da Christian Aid, construiu 80 aquecedores distribuídos nos três estados do sul, São Paulo e Minas Gerais. “Após constatarmos resultados positivos da experiência iniciada em 2011 cabe agora divulgar e maximizar a tecnologia do ASBC”, declarou o militante do MAB, Rafael Junior Motter.

Além do conforto proporcionado pela água aquecida gratuitamente e o baixo custo de implantação, o aquecedor tem um grande significado político. “A tecnologia permite a apropriação popular e gratuita de energia num contexto em que a energia foi transformada em um negócio muito lucrativo para o capital”, complementa Rafael.

O seminário foi organizado pelo Núcleo de Agroecologia do Alto Uruguai. Além das energias renováveis, foram trabalhadas iniciativas de controle biológico através do uso do Trichogramma, uso de pó de rocha, biofertilizantes, controle de pragas através do uso de armadilhas adesivas, agrofloresta, compostagem, criação de abelhas sem ferrão e certificação participativa.