MAB realiza ato em frente à Companhia Energética do Maranhão

Atingidos protestam contra aumento da luz e má qualidade do serviço de energia elétrica no estado


Nesta terça-feira (14), Dia Internacional de Luta contra as Barragens, cerca de 350 pessoas ameaçadas por projetos de barragens na bacia do rio Parnaíba, realizam ato em frente à Companhia Energética do Maranhão (CEMAR), na cidade de Timon (MA), para cobrar o acesso e melhoria no serviço de energia elétrica, denunciar as altas tarifas cobradas pela empresa e também denunciar o desrespeito no tratamento às comunidades.

A CEMAR pertence ao setor da economia (distribuição de energia) de maior PIB em 2016. Isso garante à companhia a posição de 75° maior empresa em receita líquida do Brasil (num ranking de 1000 maiores) e de 10° em rentabilidade do setor elétrico, com crescimento da receita líquida em 466% entre 2003 e 2015. Mesmo sendo uma das empresas de maior rentabilidade, a CEMAR fornece um dos piores serviços de energia elétrica do país.

Segundo lideranças da comunidade de Baixão Grande, município de Parnarama (MA), é muito comum faltar energia elétrica na comunidade. “Muitas famílias passam de três a quatro dias e até uma semana sem acesso a energia”, afirma.

Neste momento, militantes do movimento e lideranças das comunidades participam de reunião com os responsáveis pela empresa CEMAR, na qual apresentam os principais pontos de reivindicação das comunidades.

Os atingidos seguem para a cidade de Teresina (PI), onde será realizada uma grande marcha em defesa da previdência social, contra a privatização das estatais de água e energia do estado do Piauí, além das pautas locais.