MAB tranca acesso à UHE Garibaldi para pressionar por negociação

Cerca de 500 atingidos por barragens trancaram o acesso ao canteiro de obras da usina de Garibaldi, em Abdon Batista, Santa Catarina. Eles protestam em frente à obra para pressionar pelo andamento das negociações em torno da pauta de reivindicações dos atingidos.

Uma comissão de integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) está em reunião com a Triunfo, responsável pela barragem, no Ministério Público Estadual, em Lages (SC). Dentre as reivindicações está um acordo que assegure o direito de reassentamento aos agricultores atingidos, garantindo que os mesmos continuem produzindo alimentos como forma de geração de renda para a família. Agricultores de cinco municípios são afetados pela obra.

Os atingidos estão acampados na comunidade Nossa Senhora das Graças, nas proximidades do canteiro de obras da barragem desde o dia 14 de março. Na véspera, haviam feito uma ocupação do canteiro de obras. As atividades são parte da Jornada Nacional de Lutas do MAB.

Ontem (22), a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do estado de Santa Catarina, liderado pela Deputada Estadual Luciana Carminati (PT), reconheceu a violação dos direitos humanos dos atingidos no processo de construção de Garibaldi. Será elaborado um relatório com as entrevistas e depoimentos coletados na região que vai ser  entregue ao Ministra da Comissão dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, e ao Ministro da Secretaria da Presidência da Republica, Gilberto Carvalho.