Movimentos denunciam tentativa de privatização da água em Marabá

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e o Sindicato dos Urbanitários de Marabá fizeram um protesto na quinta-feira da semana passada para denunciar o repasse da concessão dos serviços de água e esgoto sanitário de Marabá à iniciativa privada. A prefeitura do município quer privatizar o serviço, retirando a concessão da Cosanpa (estatal).

De acordo com o Sindicato dos Urbanitários, “ao fazer essa entrega dos serviços públicos a empresas privadas, a prefeitura abre precedentes para reajuste da tarifa, piora na qualidade da prestação do serviço e demissão de trabalhadores. Como as empresas privadas visam lucro acima de tudo, as tarifas serão reajustadas anualmente. Vemos isso acontecer com a Celpa privatizada que hoje chega a ter a tarifa mais cara do país”, afirma nota divulgada no site do sindicato.

Devido ao protesto, a audiência que havia sido chamada pela prefeitura para discutir o tema foi adiada para o dia 16 de setembro. “A população não está participando da discussão desse assunto, por isso, as organizações vão preparar um abaixo-assinado sobre o tema”, afirmou Cristiano Rigo, militante do MAB.